blogspot visitor counter
Biblioteca Municipal de Grândola
Biblioteca Municipal de Grândola
Rua Dr. José Pereira Barradas 7570-281 Grândola tlf:269450080 fax:269498666 biblioteca@cm-grandola.pt
sexta-feira, 29 de abril de 2016
Bom fim de semana
Ilustração de Mariana Ruiz Johnson



Bom Fim de Semana
 
(para todas as mães)

Etiquetas:

Poema da Semana
Mamã
é tantas coisas...

É casa redonda,
macia e andante.

É porto seguro, feliz e radiante.

Pôs-me neste mundo,
nu, pequeno e terno.

Dá-me o seu peito
de leite materno.

Os pássaros cantam,
se irradia felicidade.

Mas quando se zanga,
mamã é tempestade.

Tece cantos, contos,
castelos de areia,
estrelas e sóis,
e a lua cheia.

Ela é como um rio,
se um filho se perde.

Mas quando o encontra,
é a selva mais verde.

Mamã é quem lê
agora estes versos.

Mamã
é tantas coisas...
esconde universos.

Mariana Ruiz Johnson, in "Mamã"

Etiquetas: ,

quinta-feira, 28 de abril de 2016
Lançamento Público do Livro "Rabiscos, memórias e afectos" de António Gamito Chainho
 
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
28 de Abril - 21H00

Etiquetas: , ,

1ª Gala Musical - Escola de Música G7
 
 
Cine Granadeiro
 
30 de Abril - 16H00

Etiquetas: , , ,

Filme da Semana
 
Relatos selvagens
 
um filme de
 
Damián Szifrón
 
 
   "Inspirada na série de televisão "Contos Assombrosos" , criada e produzida por Steven Spielberg entre os anos de 1985 e 87, uma coletânea em seis episódios em que o realizador argentino Damián Szifrón ("Tempo de Valentes") mistura vários géneros cinematográficos: comédia, drama, terror e romance.
 
   Os actores Ricardo Darín, Óscar Martínez, Leonardo Sbaraglia, Érica Rivas, Rita Cortese, Julieta Zylberberg e Darío Grandinetti cruzam-se nas histórias contadas em "Pasternak", "Las ratas","El más fuerte", "Bombita", "La propuesta" e "Hasta que la muerte nos separe". As personagens vão ser empurradas para o abismo e o inegável prazer de perder o controlo, cruzando a linha que separa a civilização da barbárie."


Etiquetas: ,

quarta-feira, 27 de abril de 2016
Livro da Semana
 
Uma mentira mil vezes repetida
 
de
 
Manuel Jorge Marmelo
 
 
Prémio Casino da Póvoa 2014 . Correntes d'Escritas
 
   "Para escapar ao anonimato de uma vida comum, à solidão da escrita e ao esquecimento dos futuros leitores, o narrador de Uma mentira mil vezes repetida inventou uma obra monumental, um autor - um judeu húngaro com uma vida aventurosa - e uma miríade de personagens e histórias que narra entusiasticamente a quem ao pé dele se senta nos transportes públicos. Assim vai desfiando as andanças literárias de Marcos Sacatepequez e o seu singular destino, a desgraça do homem-zebra de Polvorosa, o caos postal de Granada, a maldição do marinheiro Albrecht e as memórias do velho Afonso Cão, amigo de Cassiano Consciência, advogado e proprietário do único exemplar conhecido de Cidade Conquistada, a obra-prima de Oscar Schidinski. Enquanto o autocarro se aproxima de Cedofeita, ou para na Rua do Bolhão, quem o escuta viaja do Belize a Budapeste, passando pelas Honduras, por estâncias alpinas, por Toulon ou por Lisboa.
   Mas se o nosso narrador não encontrou a glória - senão por breves momentos e na mente de quem cumpre uma rotina - talvez tenha encontrado o amor. Ou será também este inventado?"

Etiquetas:

Lançamento Público do Livro "Rabiscos, memórias e afectos" de António Chainho
 
 
Biblioteca Municipal
 
28 de Abril - 21H00

Etiquetas: , ,

Cartaz de Cinema - Maio

Etiquetas: ,

terça-feira, 26 de abril de 2016
Lançamento Público do Livro "Rabiscos, memórias e afectos" de António Chainho
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
28 de Abril - 21H00

Etiquetas: , ,

Experimenta - Oficina de Pintura em Cerâmica: Flores de Primavera, por Rosário Fonseca
 
Estúdio Jovem
 
27 a 29 de Abril - 19H00
 
* Inscrições e mais informações:
269 450 083

Etiquetas: , , ,

Bibliteca Itinerante - Horário e Percurso - Maio
Livro do Tempo
    "Nadia apenas sentiu um puxão na saca antes de cair desamparada no chão. O embate deixou-a sem ar e desnorteada. Assustada agarrou o livro que se encontrava no bolso do casaco. Levantou-se com dificuldade, tentando perceber quem lhe teria roubado a saca. Olhou para a rua e não viu ninguém, retirou o livro de capa castanha já muito gasta que mantinha no bolso, abrindo-o ao acaso escrevinhou em letra quase ilegível: “Dobrando a esquina um agente da autoridade apareceu, arrastando o ladrão da bolsa.” Fechou o livro guardando-o no bolso rapidamente e aguardou. Olhou para ambos os lados do passeio e dobrando a esquina um agente da autoridade apareceu. Numa das mãos segurava a sua saca vermelha, na outra, arrastava um corcunda baixote, com o rosto coberto de cicatrizes. Para um humano normal, não passaria de um ladrão miserável e feio, para Nadia, era um Norman, protector do Livro do Tempo e eterno inimigo. Eram uma raça empenhada em encontrar o Livro e o devolver ao Reino dos Daevas, mas muito, mesmo muito, pouco capaz.
   - Ó Senhor Agente, muito obrigada por ter recuperado a minha saca.
   - Vi-o a correr com uma bolsa de mulher nas mãos. Suspeitei logo que haveria aqui marosca. - Satisfeito o agente segurava firmemente o Norman.
   - Minha Senhora, preciso que me acompanhe à esquadra para a formalização da queixa.
   - Bem, se é mesmo necessário, deixe-me só tomar nota de uma coisa.
Agarrando no livro e na caneta que tinha guardado no bolso, rabiscou rapidamente, enquanto o Norman começava a guinchar e a atirar-se na direcção de Nadia, ao ver o tão desejado Livro do Tempo. “O Norman desapareceu para as profundezas do mar, enquanto o Agente perdeu a memória e se afastou.” Fechou o livro e fê-lo deslizar para dentro do casaco. À sua frente o Agente estava com sérias dificuldades em segurar o pequeno demónio, quando este desapareceu. O Agente estupefacto, olhava perplexo para onde há momentos se encontrava o Norman. Subitamente começou a andar, afastando-se de Nadia sem reparar ou despedir-se dela. Nadia colocou a mala ao ombro e dirigiu-se para o escritório. Teria de tomar mais atenção, um Norman havia-a encontrado, o que poderia indicar mais problemas para breve. Afinal quem não desejava o Livro do Tempo."

Carlos Coelho de Faria, in "Antologia Fénix de Ficção Cíentifica e Fantasia"

Etiquetas:

Novidades Livros
 
ALLENDE, Isabel
O amante japonês
82 LE-3 LLN
 

 
DRAPER, Sharon Mills
Fora de mim
82 LE-3 DRP (Juv)
 

 
SERRA, Paulo
D. Dinis
929 DIN SRR (Inf)

Etiquetas:

sexta-feira, 22 de abril de 2016
23 de Abril - Dia Mundial do Livro
 
 
O Dia Mundial do Livro é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de Abril.

Esta data foi escolhida com base na lenda de S. Jorge e o Dragão, adaptada para honrar a velha tradição catalã segundo a qual, neste dia, os cavaleiros oferecem às suas damas uma rosa vermelha de S. Jorge (Sant Jordi) e recebem, em troca, um livro, testemunho das aventuras do heroico cavaleiro.

Em simultâneo, é prestada homenagem à obra de grandes escritores, como Shakespeare e Cervantes, falecidos em 1616, exatamente em abril.

Também a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, em 2016, presta homenagem a alguns autores portugueses, cujos centenários de nascimento ou morte se assinalam: Bocage (as comemorações dos 250 anos do nascimento decorrem de setembro 2015 a setembro de 2016); Mário de Sá Carneiro (1890-1916 – centenário da morte); Mário Dionísio (1916-1993) e Vergílio Ferreira (1916-1996), autores de que se assinala o centenário do nascimento.

Etiquetas:

23 de Abril - Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor - Encontro com o autor Pedro Prostes da Fonseca
 
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
23 de Abril - 16H00
 
Apresentação dos livros "A porta para a liberdade" e "O assassino de Catarina Eufémia" por Vítor Matos

Etiquetas: , , , , ,

23 de Abril - Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor
 
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
23 de Abril - 11H00

Etiquetas: , , , ,

Bom Fim de Semana
il. de João Fazenda




Bom Fim de Semana

Etiquetas:

Poema da Semana
Explicação do País de Abril

País de Abril é o sítio do poema.
Não fica nos terraços da saudade
não fica nas longas terras. Fica exactamente aqui
tão perto que parece longe.

Tem pinheiros e mar tem rios
tem muita gente e muita solidão
dias de festa que são dias tristes às avessas
é rua e sonho é dolorosa intimidade.

Não procurem nos livros que não vem nos livros
País de Abril fica no ventre das manhãs
fica na mágoa de o sabermos tão presente
que nos torna doentes sua ausência.

País de Abril é muito mais que pura geografia
é muito mais que estradas pontes monumentos
viaja-se por dentro e tem caminhos veias
 - os carris infinitos dos comboios da vida.

País de Abril é uma saudade de vindima
é terra e sonho e melodia de ser terra e sonho
território de fruta no pomar das veias
onde operários erguem as cidades do poema.

Não procurem na História que não ven na História.
País de Abril fica no sol interior das uvas
fica à distância de um só gesto os ventos dizem
que basta apenas estender a mão.

País de Abril tem gente que não sabe ler
os avisos secretos do poema.
Por isso é que o poema aprende a voz dos ventos
para falar aos homens do País de Abril.

Mais aprende que o mundo é do tamanho
que os homens queiram que o mundo tenha:
o tamanho que os ventos dão aos homens
quando sopram à noite no País de Abril.

Manuel Alegre, in "Praça da Canção"

Etiquetas:

quinta-feira, 21 de abril de 2016
Ciclo de Cinema - Abril Documental - "Outro país", de Sérgio Tréfaut
 
Cineteatro Grandolense / SMFOG
 
21 de Abril - 21H30

Outro País - realização de Sérgio Tréfaut - 70 min. - M12
 
* entrada grátis

Etiquetas: , , , ,

Informação: Tolerância de Ponto



Etiquetas:

Informação: Horário das Exposições

Etiquetas:

Filme da Semana
 
Homem-Formiga
 
um filme de
 
Peyton Reed
 
 
   "Os Estúdios Marvel apresentam o mais recente membro dos Vingadores: o Homem-Formiga da Marvel. Armado com a incrível capacidade de encolher em escala mas aumentar em força, o ladrão Scott Lang une forças com o seu novo mentor, o Dr. Hank Pym, para proteger o segredo por trás do seu espetacular fato de Homem-Formiga de alguns dos mais impiedosos vilões.
 
   Com o destino da humanidade em jogo, Pym e Lang têm agora de executar um ousado e perigoso golpe antes que seja tarde demais. Esta é uma emocionante aventura que não vai deixar ninguém indiferente."


Etiquetas: ,

quarta-feira, 20 de abril de 2016
Livro da Semana
 
Homem de leis perdido nos trópicos procura senhora honesta
 
de
 
José Magalhães
 
 
   "O romance-revelação de José Magalhães é uma incursão ousada no universo misteriosos da Bahia de Todos os Santos visto através dos olhos de Rodrigo de Menezes, o homem de leis formado em Coimbra. Perdido na Costa do Cacau do século XXI, persegue em Ilhéus um sonho brasileiro difícil de concretizar.
  
   Dissipadas ilusões e um casamento terminal, vai ter de enfrentar o malandro baiano que lhe coube em sorte, cruzando a vida com Hildinha, Maria Rita, a dupla de detectives Aloísio & Ulianov e outros baianos de gema. Engenhosamente irónica e crua, a saga do sexagenário forçado a emigrar oferece um retrato actualizado da terra de Gabriela Cravo e Canela que Jorge Amado tornou património universal.  
 
   Pela mão de José Magalhães - até agora conhecido pelas suas obras de constitucionalista com créditos firmados e evangelista da Internet -, os leitores mergulham num impressionante mosaico social da Bahia dos tempos modernos.
 
   Vinícius, Roberto Carlos, Machado de Assis, Bethânia e muitos outros expoentes da cultura brasileira são convocados para ajudar a compreender um mundo fascinante em que o ambiente místico e as riquezas da Mata Atlântica surgem a par da violência, o caos urbano e a dureza da vida dos trabalhadores da cidade e das fazendas de cacau.
 
   Uma galeria de mulheres sedutoras ajuda o homem que procurou nos trópicos «senhora honesta» a filosofar para sobreviver e a tomar decisões que lhe mudarão a forma de ver o mundo. Rodrigo beneficia ainda dos preciosos conselhos de Cícero, Santo Agostinho e Vani, professora de sexo tântrico. Uma estória de amor e esperança com um desfecho inspirado nos clássicos, em versão tropical."

Etiquetas:

terça-feira, 19 de abril de 2016
Comemorações dos 42 anos do 25 de Abril - Destaques - Espectáculo com Sérgio Godinho
 
Junto ao Complexo Desportivo Municipal José Afonso
 
24 de Abril a partir das 20H30

Etiquetas: , , , , ,

Impossível é não Viver
   "Se te quiserem convencer de que é impossível, diz-lhes que impossível é ficares calado, impossível é não teres voz. Temos direito a viver. Acreditamos nessa certeza com todas as forças do nosso corpo e, mais ainda, com todas as forças da nossa vontade. Viver é um verbo enorme, longo. Acreditamos em todo o seu tamanho, não prescindimos de um único passo do seu/nosso caminho.
 
   Sabemos bem que é inútil resmungar contra o ecrã do telejornal. O vidro não responde. Por isso, temos outros planos. Temos voz, tantas vozes; temos rosto, tantos rostos. As ruas hão-de receber-nos, serão pequenas para nós. Sabemos formar marés, correntes. Sabemos também que nunca nos foi oferecido nada. Cada conquista foi ganha milímetro a milímetro. Antes de estar à vista de toda a gente, prática e concreta, era sempre impossível, mas viver é acreditar. Temos direito à esperança. Esta vida pertence-nos.
 
   Além disso, é magnífico estragar a festa aos poderosos. É divertido, saudável, faz bem à pele. Quando eles pensam que já nos distribuíram um lugar, que já está tudo decidido, que nos compraram com falinhas mansas e autocolantes, mostramos-lhes que sabemos gritar. Envergonhamo-los como as crianças de cinco anos envergonham os pais na fila do supermercado. Com a diferença grande de não sermos crianças de cinco anos e com a diferença imensa de eles não serem nossos pais porque os nossos pais, há quase quatro décadas atrás, tiveram de livrar-se dos pais deles. Ou, pelo menos, tentaram.
 
   O único impossível é o que julgarmos que não somos capazes de construir. Temos mãos e um número sem fim de habilidades que podemos fazer com elas. Nenhum desses truques é deixá-las cair ao longo do corpo, guardá-las nos bolsos, estendê-las à caridade. Por isso, não vamos pedir, vamos exigir. Havemos de repetir as vezes que forem necessárias: temos direito a viver. Nunca duvidámos de que somos muito maiores do que o nosso currículo, o nosso tempo não é um contrato a prazo, não há recibos verdes capazes de contabilizar aquilo que valemos.
 
   Vida, se nos estás a ouvir, sabe que caminhamos na tua direcção. A nossa liberdade cresce ao acreditarmos e nós crescemos com ela e tu, vida, cresces também. Se te quiserem convencer, vida, de que é impossível, diz-lhe que vamos todos em teu resgate, faremos o que for preciso e diz-lhes que impossível é negarem-te, camuflarem-te com números, diz-lhes que impossível é não teres voz."
 
José Luís Peixoto, in "Abraço"

Etiquetas:

segunda-feira, 18 de abril de 2016
23 de Abril - Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor - Encontro com o autor Pedro Prostes da Fonseca
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
23 de Abril - 16H00
 
Apresentação dos livros "A porta para a liberdade" e "O assassino de Catarina Eufémia" por Vítor Matos

Etiquetas: , , , , ,

23 de Abril - Dia Mundial do Livro e dos Direitos de Autor
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
23 de Abril - 11H00

Etiquetas: , , , ,

3ª Edição de Arte na Rua - Trabalhos ao vivo - Artistas Plásticos e Artesãos
 
 
Grândola - Jardim 1º de Maio
 
23 de Abril - 10H00 às 19H00

Etiquetas: , , ,

Novidades Livros
 
GREGORY, Philippa
O ouro do alquimista
82 LE-3 GRG
 

 
RIBEIRO, João Manuel
25 de Abril, 40 anos de liberdade
82 LP-1 RBR (Juv)
 

 
GIULIANI, Emma
Vir ao mundo
82 LE-34 GLN (Inf)

Etiquetas:

sexta-feira, 15 de abril de 2016
Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (18 de Abril 2016)
 
Grândola - Largo de S. Sebastião
 
16 de Abril - 10H00 às 19H00
 
 

Etiquetas: , , , ,

Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (18 de Abril 2016)
 
Lousal - Centro Ciência Viva
 
16 e 17 de Abril

Etiquetas: , , ,

13º Torneio do 25 de Abril de Escolas de Futebol "Grandolafoot 2016"
 
Parque Desportivo Municipal
 
16 de Abril - 14H00 às 18H00

Etiquetas: , , , ,

Bom Fim de Semana
Pintura de Édouard Manet



Bom Fim de Semana

Etiquetas:

Poema da Semana
Coisas, Pequenas Coisas

Fazer das coisas fracas um poema.

Uma árvore está quieta,
murcha, desprezada.
Mas se o poeta a levanta pelos cabelos
e lhe sopra os dedos,
ela volta a empertigar-se, renovada.
E tu, que não sabias o segredo,
perdes a vaidade.
Fora de ti há o mundo
e nele há tudo
que em ti não cabe.

Homem, até o barro tem poesia!
Olha as coisas com humildade.

Fernando Namora (15/04/1919-31/01/1989), in "Mar de Sargaços"

Etiquetas:

quinta-feira, 14 de abril de 2016
Concerto Luís Pucarinho - Orgânica Mente Humana
 
 
Cineteatro Grandolense / SMFOG
 
15 de Abril - 21H30
 
 
Luís Pucarinho apresenta esta sexta-feira, 15 de Abril às 21h30 no Cineteatro Grandolense o seu mais recente trabalho "Orgânica Mente Humana".
Um espetáculo em Português que passa por estilos contemplados nas músicas do mundo, como o Rock, Blues, Jazz, música Clássica ou Tradicional.
Neste concerto, Luís Pucarinho estará acompanhado por Zé Peps na guitarra folk, Afonso Castanheira no contrabaixo, Mário Lopes na Bateria, Samuel Santos no violoncelo e André Penas na viola d’arco.

Etiquetas: , , , , ,

Ciclo de Cinema - Abril Documental - "48", de Susana de Sousa Dias
 
 
Sede da SMFOG
 
14 de Abril - 21H30
 
 
 
Documentário - Realização de Susana de Sousa Dias -  93m - M12

O que pode uma fotografia de um rosto revelar sobre um sistema político?
O que pode uma imagem tirada há mais de 40 anos dizer sobre a nossa atualidade?
Depois de Natureza Morta - Visages d’une Dictature, Susana de Sousa Dias volta a centrar-se na época do Estado Novo, utilizando um dispositivo cinematográfico inovador. Partindo de um núcleo de fotografias de cadastro de prisioneiros políticos da ditadura portuguesa, “48” mostra os mecanismos através dos quais um sistema autoritário se tentou perpetuar durante 48 anos e leva-nos a refletir sobre temática da tortura e sobre as suas consequências nos dias de hoje.

*Entrada gratuita

Etiquetas: , , , ,

Exposição "Rostos da Revolução" - Desenhos de António e Fotografias de Carlos Gil - Inauguração
 
 
Biblioteca Municipal

16 de Abril - 17H00

Etiquetas: , , , , , ,

Arte na Rua - 23 de Abril - Jardim 1º de Maio

 
 
Devido à previsão de condições meteorológicas adversas a 3.ª Edição "Arte na Rua”, inicialmente prevista para 16 de abril, irá realizar-se no dia 23 de abril, das 10H00 às 19H00, no Jardim 1.º de maio.

Inscrições no Estúdio Jovem até ao dia 15 de abril.
 
Para mais Informações:
 
 
Tel: 269 450 083

Etiquetas: , , ,

Ana Bola sem Filtro
 
 
Cine Granadeiro
 
16 de Abril - 22H00
 
*Entrada: 3€
Reservas: 269 448 030

Etiquetas: , , , , ,

Filme da Semana
 
 
As mil e uma noites - 3 Volumes
 
um filme de
 
Miguel Gomes
 
 
 

   "Em Portugal – um país Europeu em crise, um realizador propõe-se a construir ficções a partir da miserável realidade onde está inserido. Mas incapaz de descobrir um sentido para o seu trabalho, foge cobardemente, dando o seu lugar à bela Xerazade. Ela precisará de ânimo e coragem para não aborrecer o Rei com as tristes histórias desse país! Com o passar das noites, a inquietude dá lugar à desolação e a desolação ao encantamento. Para isso Xerazade organiza as histórias que conta ao Rei em três volumes. Começa assim: “Oh venturoso Rei, fui sabedora de que um triste país entre os países…”

Volume 1O Inquieto
No qual Xerazade dá conta das inquietantes maldições que se abatem sobre o país…

Volume 2O Desolado
No qual Xerazade narra como a desolação invadiu os homens…

Volume 3O Encantado
No qual Xerazade duvida que ainda consiga contar histórias que agradem ao Rei…

Etiquetas: ,

quarta-feira, 13 de abril de 2016
Arte na Rua - 16 de Abril - Jardim 1º de Maio
 
 
Inscrições no Estúdio Jovem até ao dia 13 de abril

Etiquetas: , , ,

Livro da Semana
 
 
O tempo morto é um bom lugar
 
de
 
Manuel Jorge Marmelo
 
 
   "Galardoado recentemente com o Prémio Correntes d’ Escritas/Casino da Póvoa 2014, pelo romance Uma Mentira Mil Vezes Repetida, Manuel Jorge Marmelo lança um extraordinário romance em que temas fundamentais do nosso tempo são tratados com a mais apurada mestria literária.

   Depois de acordar ao lado do cadáver de Soraya - a mestiça belíssima, estrela televisiva, com quem mantinha uma relação íntima a pretexto de lhe escrever a autobiografia -, o jornalista desempregado Herculano Vermelho entrega-se à polícia e é preso. Não tem memória de nada, nem de que possa ter sido ele a matar a jovem mulher, mas a prisão parece-lhe ser o lugar ideal, o espaço de sossego e de liberdade (sem contas para pagar, sem apresentações regulares no centro de emprego, sem pressões de qualquer espécie), para passar a sua vida em revista, a relação com as mulheres, e escrever a autobiografia da rapariga morta.

O tempo morto é um bom lugar recria ainda a história da breve vida de Soraya e conta a investigação pouco ortodoxa que o jornalista veterano João António Abelha leva a cabo sobre a autoria do crime e, afinal, da própria ficção."  

Etiquetas:

terça-feira, 12 de abril de 2016
Exposição "Rostos da Revolução" - Desenhos de António e Fotografias de Carlos Gil - Inauguração
 
 
Biblioteca Municipal

16 de Abril - 17H00

Etiquetas: , , , , , ,

PORTUGAL PARA TURISTAS
   "Vânia tem vinte e três anos, nasceu em Brasília, onde vive com um namorado português, meu amigo de infância, que lhe prometeu mostrar a pátria assim que pudesse.
   Caíram-me há dias no colo.
   Traziam no corpo mais de dois mil quilómetros em estradas portuguesas, e agora ela queria conhecer Lisboa.
   «Tenho um almoço de negócios», disse-me ele ao telefone, «podes tratar dela esta tarde?»
   Nunca fui grande cicerone, ainda por cima agora, que um vírus qualquer anda a fazer-me a vida negra, provocando-me tantas dores no corpo e um tal cansaço que parece que passo dias inteiros na estiva.
   Mas eu não podia dizer que não ao Luís, que tantas neuras me tem aturado nestes últimos meses, e lá fui apanhar a Vânia à esplanada da Brasileira - completamente fascinada pelas pessoas, pelo bacalhau, pelos pastéis de nata, pelos ovos-moles, pelos palácios, pelas caves de vinho do Porto.
   Desde que o avião aterrara, não tinham tido um minuto de descanso, cumprindo à risca o itinerário traçado em Brasília.
   E a Vânia falava, emocionada, do centro histórico de Guimarães, dos cais de Gaia, da capela dos ossos de Évora, da subida ao Palácio da Pena, de Trancoso, de Cabanas do Viriato, etc.
   Para não deixar Lisboa malvista, arranco com ela pelo Chiado, levo-a a almoçar num desses restaurantes muito zen que abundam agora na Baixa, paro no Largo do Carmo, onde lhe conto a história (acho que vai chegar ao Brasil confundindo o Condestável, o Marquês de Pombal e Salgueiro Maia...), e dou-me conta de que tenho nas mãos uma brasileira de vinte e três anos que sabe tanto da história recente de Portugal como um português de vinte e três anos sabe da história recente do Brasil, perguntando, espantada: «Fizeram uma revolução?! E porquê? O Governo era corrupto?» (Para uma brasileira de vinte e três anos, o único motivo para fazer revoluções é a corrupção.)
   A Vânia emociona-se com o rio em Santa Catarina, abre a boca de espanto com o teto arte nova do restaurante, sente-se no paraíso diante das montras das grandes marcas, parece uma criança à janela do 28.
   Vânia é uma turista perfeita e, para turistas perfeitos, Portugal é o país perfeito.
   E eu tenho pena de não ser capaz de olhar para o país com a ingenuidade dos olhos dela, e de me emocionar assim - sem pensar no desgoverno que vai por aí.
   Se o país fosse aquilo que a Vânia vai levar nos olhos para o Brasil, como nós seríamos felizes!
   A um país assim, tenho a certeza de que até o meu vírus acabaria por se render."
 
Alice Vieira, in "O que se leva desta vida"

Etiquetas:

segunda-feira, 11 de abril de 2016
Petição Pública - Somos Bibliotecas


 
 
Solicitamos a todos/as a leitura do manifesto e a assinatura da petição (caso concordem com a mesma):

Etiquetas:

Ação de Sensibilização dinamizada por Paula Cusati
 
Escola Básica D. Jorge de Lencastre
 
Biblioteca Escolar
 
14 de Abril - 18H00

Etiquetas: , ,

Arte na Rua - 16 de Abril - Jardim 1º de Maio
 
 
ARTE NA RUA

O Município de Grândola convida artistas plásticos/artesãos para participarem na 3ª edição da iniciativa “Arte na Rua” que se realizará no dia 16 de abril no Jardim 1º de Maio.

Inscrições no Estúdio Jovem até ao dia 13 de abril.

Para mais Informações: gab.jovem@cm-grandola.PT

Tel: 269450083

Etiquetas: , , ,

Novidades Livros
 
ALVES, Clara Ferreira
Pai Nosso
82 LP-3 LVS
 

 
RUNDELL, Katherine
A encantadora de lobos
82 LE-3 RND (Juv)
 

 
SEBE, Masayuki
O livro dos 100
51 SBE (Inf)

Etiquetas: