blogspot visitor counter
Biblioteca Municipal de Grândola
Biblioteca Municipal de Grândola
Rua Dr. José Pereira Barradas 7570-281 Grândola tlf:269450080 fax:269498666 biblioteca@cm-grandola.pt
quinta-feira, 31 de julho de 2008
Livro da Semana

Se há autor que ao longo da sua obra fez constantes exortações aos prazeres da vida, Ernest Hemingway será porventura o mais perfeito exemplo.

Em As Verdes Colinas de África somos apresentados ao mundo da caça e a um universo africano já em extinção. Embora possamos não ser fãs do mundo da caça, a verdade é que a narrativa de Hemingway é capaz de nos seduzir e de nos conquistar pela constante promoção das nossas capacidades sensoriais e de todo o prazer que daí podemos retirar.

Apesar da sua trágica morte, a sua obra deveria servir de referência para todos nós e para a promoção da nossa felicidade.

Disponível na sua biblioteca em 82 LE-3 HMN

Etiquetas:

quarta-feira, 30 de julho de 2008
Ilustre Desconhecido: Bocage
Auto-Retrato


Magro, de olhos azuis, carão moreno,
Bem servido de pés, meâo na altura,
Triste de facha, o mesmo de figura,
Nariz alto no meio, e não pequeno;
Incapaz de assistir num só terreno,
Mais propenso ao furor do que à ternura;
Bebendo em níveas mãos, por taça escura,
De zelos infernais letal veneno;
Devoto incensador de mil deidades
(Digo, de moças mil) num só momento,
E somente no altar amando os frades,
Eis Bocage em quem luz algum talento;
Saíram dele mesmo estas verdades,
Num dia em que se achou mais pachorrento.




Retrato de Bocage pintado por Elói

Manuel Maria Barbosa du Bocage nasceu em Setúbal no dia 15 de Setembro de 1765. Filho de um Advogado sem recursos e de mãe francesa, cedo revelou a sua sensibilidade literária, que um ambiente familiar propício incentivou.

Aos 16 anos assentou praça no regimento de infantaria de Setúbal e aos 18 alistou-se na Marinha, tendo feito a sua aprendizagem em Lisboa e embarcado, posteriormente, para Goa, na qualidade de Oficial.

Na sua rota para a Índia passou pelo Rio de Janeiro e, nesta cidade, teve oportunidade de conhecer e de impressionar a sociedade brasileira.

Em Outubro de 1876 chegou, finalmente, ao Estado da Índia. A sua estadia neste território caracterizou-se por uma profunda desadaptação. O clima insalubre e a escassez cultural que aí presenciou, levaram a um descontentamento que retratou em alguns dos seus sonetos de carácter satírico.

Regressou a Lisboa em Agosto de 1790, com 25 anos. Aí dedica-se a uma vida desregrada entre os cafés e as tertúlias literárias. Frequentou os cafés que alimentavam as ideias da revolução francesa e satirizou a sociedade estagnada portuguesa.

Em 1791 publicou o seu primeiro livro de Rimas, ao qual se seguiram mais dois, respectivamente em 1798 e 1084.

No início da década de noventa aderiu à "Nova Arcádia", associação literária controlada por Pina Manique, onde era conhecido pelo pseudónimo de Elmano Sadino. As suas relações com a Arcádia não foram pacíficas, tendo, ao afastar-se, lançado ataques contundentes nos seus versos.

A sua vertente satírica levou-o à prisão do Limoeiro, acusado de crime de lesa-majestade. Em Fevereiro de 1798 foi entregue, por Pina Manique, ao Convento de S. Bento e, mais tarde, ao Hospício das Necessidades, para ser "reeducado".

Morre em 1805, com 40 anos, em Lisboa, perante a comoção da população em geral. Foi sepultado na Igreja das Mercês.

Etiquetas:

terça-feira, 29 de julho de 2008
José Afonso - "como se fora seu filho"


Depois de em 2004/05 o Município de Grândola ter promovido uma justa homenagem a José Afonso, reconhecendo a importância da sua obra poética e musical, assim como o exemplo que foi a sua vida, dedicada aos ideais da Liberdade, Democracia, Solidariedade e Justiça Social, a Câmara Municipal pretende, no âmbito do desenvolvimento do projecto “Observatório Mundial de Canções de Protesto”, realizar uma actividade de carácter lúdico e cultural, construída em torno da data de nascimento de José Afonso.

Esta iniciativa será realizada em conjunto com a AJA – Associação José Afonso, no dia 2 de Agosto de 2008, no Jardim 1º de Maio. O programa vai integrar um grupo de teatro para a infância assim como as antigas e modernas formas de música de intervenção.

Etiquetas:

segunda-feira, 28 de julho de 2008
Novidades da Semana



PRETOR-PINNEY, Gavin
O Mundo das Nuvens
551 PNN

KRAUSS, Nicole
A História do Amor
82 LE-3 KRS

SPURLOCK, Morgan
Mas afinal, onde está Osama Bin Laden ?
327 SPR

FONSECA, Pedro
Blogues Proíbidos
82 LP-3 FNS

PARFITT, Tudor
A Arca perdida da Aliança
82 LE-3 PRF

HORIA, Vintila
Deus nasceu no exílio
82 LE-3 HRA

AMARAL, Gonçalo
Maddie, a verdade da mentira
82 LP-3 MRL



ROSINSKI e VAN HAMME
Thorgal: O Filho das Estrelas
82-9 RSN

RUY, José
Peter Café Sport e o Vulcão do Faial
82-9 RUY



LAKE, A. J.
A Idade das Trevas
82 LE-311.3 LKE (Juv)

TAVARES, Gonçalo M.
O Mandarim
82 LP-34 TVR (Inf)

MELO, João de
Carta a El-Rei Dom Manuel sobre o achamento do Brasil
82 LP-34 MLO (Inf)

Etiquetas:

sexta-feira, 25 de julho de 2008
Bom Fim-de-Semana
Vincent van Gogh


Os Funcionários da Biblioteca Municipal desejam a todos um bom Fim-de-Semana
Poema da Semana



Dizem que a paixão o conheceu
dizem que a paixão o conheceu
mas hoje vive escondido nuns óculos escuros
senta-se no estremecer da noite enumera
o que lhe sobejou do adolescente rosto
turvo pela ligeira náusea da velhice
conhece a solidão de quem permanece acordado
quase sempre estendido ao lado do sono
pressente o suave esvoaçar da idade
ergue-se para o espelho
que lhe devolve um sorriso tamanho do medo
dizem que vive na transparência do sonho
à beira-mar envelheceu vagarosamente
sem que nenhuma ternura nenhuma alegria
nunhum ofício cantante
o tenha convencido a permanecer entre os vivos
Al Berto












Etiquetas:

quinta-feira, 24 de julho de 2008
Teatro de Marionetas - A Princesa do Coração de Ouro
No passado Sábado, dia 19 de Julho, o Grupo de Teatro-Circo Trupilariante apresentou o espectáculo de Marionetas "A Princesa do Coração de Ouro" na Biblioteca no Jardim.


Assistiram a este espectáculo cerca de 40 crianças e outros tantos adultos.







No próximo Sábado, dia 26 de Julho (às 11hoo), será a vez do Grupo Era Uma Vez Teatro de Marionetas apresentar o espectáculo "O lixo do Senhor Bartolomeu".

Aparece

Etiquetas:

Livro da Semana

Para celebrar o Dia Mundial do Livro ( 23 de Abril), A FNAC convidou dez dos mais destacados escritores portugueses a escreverem um conto que viria a ser integrado neste Prazer da Leitura que hoje vos sugerimos.
De facto, é impossível negar o prazer imenso que se sente ao percorrermos os contos de Mário Cláudio, Francisco José Viegas, João Aguiar, Lídia Jorge, Luísa Costa Gomes, Manuel Jorge Marmelo, Maria Teresa Horta, Filipa Melo, Nuno Júdice e Rui Zink.
No fundo acaba por ser esta diversidade que nos fascina do primeiro ao último instante, despertando e reavivando em nós o prazer da leitura, sempre diferente mas sempre tão bom.
Por isso não perca esta fantástica oportunidade de contactar de perto com os trabalhos de alguns dos nossos vultos da literatura.
Disponível na sua biblioteca em 82 LP-3

Etiquetas:

quarta-feira, 23 de julho de 2008
Ilustre Desconhecido: Agatha Christie

Agatha Christie
(1890-1976)
Agatha Mary Clarissa Miller nasceu em Torquay, condado de Devonshire, Inglaterra, em 15 de Setembro de 1890.
Foi educada em casa e somente aos 15 anos frequentou uma escola, em Paris.
Em 1914 casou com o seu primeiro marido, Archibald Christie, adoptando então o apelido Christie, com que se tornou conhecida no mundo da literatura.
Durante a I Guerra Mundial (1914-1918) prestou serviço voluntário num hospital, primeiro como enfermeira e depois como funcionária da farmácia. Esta experiência revelar-se-ia fundamental para o conhecimento dos venenos e preparados que figurariam em muitos dops seus livros.
Com o seu segundo marido, Max Mallowan, Arqueólogo, Agatha viajaria um pouco por todo o mundo, participando activamente nas suas escavações arqueológicas, nunca abandonando contudo a escrita, nem deixando passar em claro a magnífica fonte de conhecimento e inspiração que estas viagens lhe proporcionaram.
Com centenas de milhões de exemplares dos seus romances policiais publicados em todo o mundo, é conhecida como "A Rainha do Crime" ou, como preferia ser apelidada, "A Duquesa da Morte". É a autora mais publicada da história, em qualquer idioma, apenas ultrapassada por Shakespeare.
Publicou, ainda, alguns romances com o pseudónimo de Mary Westmacott.
Começou a escrever sob a influência da mãe, que a incentivou a criar um conto quando estava de cama, doente.
O seu primeiro grande êxito foi o romance policial "O assassinato de Roger Ackroyd", publicado em 1926.
Criou personagens mundialmente conhecidas, tais como: Hercule Poirot, detective belga excêntrico e teimoso; e a detective Miss Jane Marple, uma velhinha solteirona, inspirada na avó de Agatha.
Em 1956 viu o seu talento e o seu papel na literatura e nas artes serem oficialmente reconhecidos. Foi o ano em que foi distinguida com o título de Commander of the British Empire.
Em 1971, a Rainha Isabel II de Inglaterra consagrou-a com o título de Dame of the British Empire.
Deixando para trás um legado universal celebrado em mais de cem línguas, Agatha Christie morreu a 12 de Janeiro de 1976, de pneumonia.
Na Biblioteca Municipal existem cerca de 50 obras desta autora, com a cota 82 LE-312.4 CHR

Etiquetas:

Reencontro pela Arte - Exposição de Pintura e Cerâmica
Até 25 de Julho ainda pode visitar a exposição
"Reencontro pela Arte - Exposição de Pintura e Cerâmica".






Não falte.

Etiquetas:

terça-feira, 22 de julho de 2008
O Lixo do Senhor Bartolomeu
Em virtude do Estúdio Jovem não poder apresentar o atelier de fantoches no próximo Sábado, dia 26 de Julho de 2008, teremos o espectáculo O Lixo do Senhor Bartolomeu pelo grupo Era Uma Vez Teatro de Marionetas.
Realizar-se-à, como habitualmente, pelas 11 horas na Biblioteca do Jardim.




APARECE

Etiquetas:

segunda-feira, 21 de julho de 2008
Novidades da Semana


COUTINHO, Alexandre
O Mensageiro de Fidel
82 LP-3
CTN

BYATT, A. S.
Possessão: uma história de amor
82 LE-3
BYT

CADILHE, Gonçalo
Planisfério Pessoal
82 LP-3
CDL

GIBBINS, David
O Ouro dos Cruzados
82 LE-3
GBB

PINTO, Sousa
Chiquita
82 LP-3
PNT

PINTO, Sousa
A seis dias da monarquia
82 LP-3
PNT

KROHN, Bill
Stanley Kubrick
791.43
KRH

FARIA, Rosa Lobato de
Auto da Índia
82 LP-2
FRA
(Inf)

A Dama e o Vagabundo
82-9
(Inf)

Etiquetas:

sexta-feira, 18 de julho de 2008
Bom Fim-de-Semana

Caricatura de Fernando Pessoa por João Abel Manta
A Biblioteca Municipal de Grândola deseja um bom fim-de-semana a todos os utilizadores
Poema da Semana
Não sei quantas almas tenho

Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem achei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,

Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem,
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.

Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que segue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: "Fui eu ?"
Deus sabe, porque o escreveu.

Fernando Pessoa

Etiquetas:

quinta-feira, 17 de julho de 2008
Livro da Semana



Corria o dia 26 de Novembro de 2006 quando uma das grandes personalidades, senão mesmo a maior, do nosso surrealismo faleceu na cidade que o viu nascer.

Cerca de um ano depois, a Assírio & Alvim publicou Uma Grande Razão, onde se encontram alguns dos seus mais significativos poemas e que marcam uma das mais importantes e belas páginas de literatura portuguesa.

Com o seu humor extremamente refinado e com uma perspectiva da sociedade a que não conseguimos ficar indiferentes, este livro pode ser lido enquanto um convite para uma posterior exploração da sua obra, pois uma coisa é certa: uma vez que se começa a ler Cesariny, é quase impossível pararmos.

Disponível na sua biblioteca em 82 LP-1 CSR

Etiquetas:

quarta-feira, 16 de julho de 2008
Ilustre Desconhecido: Alberto Caeiro

Pintura de Hermenegildo Sábat
Alberto Caeiro
(1889-1915)
Alberto Caeiro nasceu em Lisboa, a 16 de Abril de 1889, e aí morreu, tuberculoso, em 1915.
Viveu quase toda a sua vida no campo. Orfão de pai e mãe desde muito cedo, viveu de pequenos rendimentos, com uma tia-avó.
Não teve profissão, nem educação quase nenhuma, só instrução primária.
De estatura média, era louro e tinha os olhos azuis.
Carta Astrológica de Alberto Caeiro
Alberto Caeiro escrevia com linguagem simples e vocabulário limitado de um poeta camponês, pouco ilustrado.
Praticava o realismo sensorial, numa atitude de rejeição às reflexões da poesia simbolista.
Em perfeita consonância com a busca da simplicidade e espontaneidade, Caeiro escreveu versos livres (sem métrica regular) e brancos (sem rimas). Alberto Caeiro fez uma poesia da natureza, uma poesia dos sentidos, das sensações puras e simples.
Mestre de Ricardo Reis e Álvaro de Campos, a eles ensinou a filosofia do não filosofar, a aprendizagem do desaprender.
"Eu não tenho filosofia: tenho sentidos...
Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é.
Mas porque a amo, e amo-a por isso,
Porque quem ama nunca sabe o que ama
Nem porque ama, nem o que é amar..."
Enquanto tenta provar que não intectualiza nada, é o que mais intelectualiza entre as personagens pessoanas, parece usar o raciocínio sem querer demonstrar isso.
Sendo o mais intelectualizado entre os heterónimos de Fernando Pessoa, Caeiro foi o que menos se preocupou com o trabalho formal do Poema.

Etiquetas:

terça-feira, 15 de julho de 2008
Biblioteca no Jardim - Espectáculo de Marionetas

No passado Sábado, dia 12 de Julho, voltou a haver Teatro de Marionetas na Biblioteca no Jardim 1º de Maio. Foi a vez do Grupo Era Uma Vez - Teatro de Marionetas apresentar a peça "A Carochinha".


Estiveram cerca de 90 pessoas a assistir, entre adultos e crianças.



Para o próximo Sábado, dia 19 de Julho, será a vez da Trupilariante apresentar a peça "A Princesa do Coração de Ouro", às 11h00.
Aparece.

Etiquetas:

segunda-feira, 14 de julho de 2008
Animação no Jardim
A partir de hoje a Biblioteca no Jardim começou a conhecer uma nova dinâmica graças à leitura animada de estórias.
Embora esta iniciativa conte com a parceria indispensável do Jardim de Infância de Grândola, a mesma encontra-se aberta a toda a população.
Por isso, a partir de hoje, não hesite em aparecer no jardim pelas 10h30.

Etiquetas:

sexta-feira, 11 de julho de 2008
Bom fim de semana

Mário Cesariny

Etiquetas:

Pastelaria
Afinal o que importa não é a literatura
nem a crítica de arte nem a câmara escura

Afinal o que importa não é bem o negócio
nem o ter dinheiro ao lado de ter horas de ócio

Afinal o que importa não é ser novo e galante
- ele há tanta maneira de compor uma estante

Afinal o que importa é não ter medo: fechar os olhos frente ao precipício
e cair verticalmente no vício

Não é verdade rapaz? E amanhã há bola
antes de haver cinema madame blanche e parola

Que afinal o que importa não é haver gente com fome
porque assim como assim ainda há muita genteque come

Que afinal o que importa é não ter medo
de chamar o gerente e dizer muito alto ao pé de muita gente:
Gerente! Este leite está azedo!

Que afinal o que importa é pôr ao alto a gola do peludo
à saída da pastelaria, e lá fora – ah, lá fora! – rir de tudo

No riso admirável de quem sabe e gosta
ter lavados e muitos dentes brancos à mostra

Mário Cesariny

Etiquetas:

quinta-feira, 10 de julho de 2008
Livro da Semana


Mais uma vez Bukowski apresenta-nos o seu alter ego Henri Chinasky que nos guia por um conjunto de situações de um quotidiano aparentemente distinto do nosso.

Sempre bastante autobiográfico, somos conduzidos ao interior da mente humana com especial destaque para um dos seus principais motores: o sexo.

A obsessão com o corpo feminino pode-nos parecer repugnante ao início, mas nada mais passa do que a descrição e reflexo de uma tendência da sociedade, que desde os anos 50 até aos nossos dias se tem vindo a acentuar cada vez mais. Basta ver quantos são os produtos que são hoje vendidos juntamente com a imagem de uma mulher. Bela, de preferência.

A tudo isto temos ainda que somar a escrita jornalística, bastante influenciada por Hemingway, com leves anotamentos humorísticos que fizeram Bukowski destacar-se como um dos mais criativos e geniais autores da beat generation.

Disponível na sua biblioteca em 82 LE-3 BKW

Etiquetas:

quarta-feira, 9 de julho de 2008
Teatro no Jardim
No passado sábado dia 5 de Julho a companhia Valdevinos esteve no Jardim 1º de Maio a apresentar o seu Canteiro de Livros.
Perante uma planteia atenta, deliciaram não só os mais novos como os adultos presentes no jardim.
Esta iniciativa enquadra-se dentro das actividades promovidas pela Biblioteca no Jardim e que se irá prolongar até ao próximo dia 8 de Agosto.
No próximo sábado será a vez da companhia Era Uma Vez estar connosco pelas 11 horas, onde irá apresentar A Carochinha.

Etiquetas:

Ilustre Desconhecido: Ricardo Reis
Ricardo Reis
(1887-1935)
Ricardo Reis nasceu em 19 de Setembro de 1887.
Foi educado num colégio de Jesuítas, onde recebeu uma educação clássica (latina) e estudou, por vontade própria, o helenismo. Essa formação clássica reflecte-se quer a nível formal (odes à maneira clássica), quer a nível dos temas por si tratados e da própria linguagem utilizada na sua poesia.
Formou-se em Medicina embora não exercesse a profissão.
Era moreno, de estatura média, andava meio curvado e era magro.
Ricardo Reis era austero, contudo, disciplinado e inteligente. Era o Poeta da Razão.
Era um homem civilizado, de boas e elegantes maneiras, culto, pagão e moralista. Tinha medo da velhice e da morte.


Carta Astrológica de Ricardo Reis

De convicções monárquicas, emigrou para o Brasil após a Implantação da República, a 12 de Outubro de 1919.

Na poesia, Ricardo Reis foi buscar a sua forma de expressão aos poetas latinos, de acordo com a sua formação.

Este heterónimo pessoano, numa arte poética particularmente sua, utiliza um vocabulário erudito, e os seus poemas são metrificados e apresentam uma sintaxe rebuscada.

Os poemas de Ricardo Reis são odes, poemas líricos de tom alegre e entusiástico.

Etiquetas:

terça-feira, 8 de julho de 2008
Reencontro pela Arte - Exposição de Pintura e Cerâmica




Está patente ao público na Biblioteca Municipal uma exposição de Pintura e Cerâmica denominada "Reencontro pela Arte", da Pintora Ana Paula Palhas e da Ceramista Maria do Rosário Paquete.

Esta exposição poderá ser visitada de Segunda-feira a sábado, até dia 25 de Julho, com o seguinte horário:

Segunda-feira das 13 h às 19 h

De Terça-feira a Sexta-feira das 9h30m às 19 h

Sábados das 10 h às 13 h

Ana Paula Palhas é natural de Grândola e reside em Vila Nova de Santo André há 23 anos. Desde a formação escolar que tem gosto pelas artes, especialmente pela pintura, tendo vindo a frequentar, em Santiago do Cacém, a Escola de Pintura Alen - Cores, sob orientação do professor Charles Hejnal. A partir de então começou a olhar tudo à sua volta com outros olhos. Adora o mar e a região onde vive e é sobre ela que mais gosta de pintar. As técnicas que nos apresenta na sua mostra são pastel seco, óleo sobre tela e aguarela.

Maria do Rosário Paquete é natural de Grândola, onde actualmente reside. Há quinze anos concluiu a sua formação na escola de cerâmica de Reguengos de Monsaraz e exerce, desde então, a profissão de pintora e modeladora de cerâmica, em Grândola, na oficina de S. Pedro. Nesta mostra apresenta os seus últimos trabalhos em barro vermelho policromado e em pasta de alta temperatura (grés e refractário).

Etiquetas:

segunda-feira, 7 de julho de 2008
Novidades da Semana



WILLIG, Lauren
A intriga do anel de esmeralda
82 LE-3 WLL
MÁRAI, Sándor
A mulher certa
82 LE-3 MRI
DONNELLY, Mark P. e outro
Come o teu próximo: a história do canibalismo
392 DNN
JACOBS, Sunny
Tempo roubado
82 LE-3 JCB
OTHMER, James P.
O Visionário
82 LE-3 THM
HANLON, Michael
10 perguntas às quais a ciência não sabe responder [ainda]
50 HNL
PAIXÃO, Pedro
Rosa vermelha em quarto escuro
82 LP-3 PXO
LETRIA, José Jorge
O Bobo
82 LP-34 LTR (Inf)
CRUZ, Mafalda Ivo
Mensagem
82 LP-34 CRZ (Inf)

Etiquetas:

sexta-feira, 4 de julho de 2008
Bom Fim-de-Semana
Retrato de Fernando Pessoa feito por
João Luiz Roth




A Biblioteca Municipal de Grândola deseja a todos os seus utilizadores um bom fim-de-semana
Poema da Semana


MAR PORTUGUÊS

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!

Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

in Mensagem de Fernando Pessoa

Etiquetas:

quinta-feira, 3 de julho de 2008
Livro da Semana











Meu Portugal Brasileiro
de
José Jorge Letria
A deslocação da corte portuguesa para o Brasil é o ponto de partida de "Meu Portugal Brasileiro", o mais recente livro de José Jorge Letria.
"Meu Portugal Brasileiro" é uma narrativa ficcionada mas com uma forte fidelização e respeito pelas fontes históricas.
Este romance histórico retrata a vida apaixonante de um Português na corte de D. João VI e os sonhos e as incertezas do nascimento da nação Brasileira.
A partida da família real para o Brasil mudou, para sempre, a história dos dois povos, o destino das duas nações e a vida de um Homem, o alferes de infantaria António Pereira Vicente, que deixou para trás a sua família e todos os seus sonhos, testemunhando, no Rio de Janeiro, a vida quotidiana da família real nas suas grandezas e nos momentos de fragilidade.
A obra tem todos os ingredientes para atrair o leitor: conspirações, boatos, perversidades, paixões e até algum burlesco.
Este livro existe na Biblioteca Municipal com a cota 82 LP-3 LTR

Etiquetas:

quarta-feira, 2 de julho de 2008
Ilustre Desconhecido: Álvaro de Campos


Álvaro de Campos
(1890-1935 ?)








Álvaro de Campos nasceu a 15 de outubro de 1890, em Tavira.

Depois de uma educação vulgar de liceu formou-se em Engenharia Naval, sem grande brilhantismo, em Glasgow (Escócia).


Fisicamente é alto (1,75 m), magro e com tendência a curvar-se. Usa monóculo e a cara rapada, tipo Judeu Português.


Numas férias fez uma viagem ao Oriente, de onde resultou o Poema "Opiário". Viveu depois em Lisboa, sem exercer a sua profissão. Dedicou-se à Literatura, intervindo em polémicas Literárias e Políticas.


A trajectória Poética de Álvaro de Campos está compreendida em 3 fases:



  • A primeira, a fase do Decadentismo é condensada no Poema Opiário, e é caracterizada pelo tédio, destruição interior, procura de evasão, desinteresse por tudo o que o mundo lhe oferece e pela saturação da civilização. É marcada pelo Romantismo e Simbolismo.


  • A segunda, a fase Futurista/Sensacionalista, decorre da influência de Whitman. É a fase da idealização poética industrial. Celebra o triunfo da máquina, da energia mecânica e da civilização moderna. Procura a totalização das sensações. Exprime a energia ou a força que se manifesta na vida.


  • A terceira, a fase do Pessimismo, em que Álvaro de Campos se sente vazio, um marginal, um incompreendido. Esta fase é caracterizada pelo sono, cansaço, desilusão, revolta, inadaptação, dispersão, angústia, desânimo e frustração.

Álvaro de Campos é a personagem Pessoana que mais se aproximou de uma poesia realista e, é também, quem mais foi marcado pelos símbolos da modernidade.

Etiquetas:

terça-feira, 1 de julho de 2008
Exposição "Reencontro pela Arte - Exposição de Pintura e Cerâmica"



Etiquetas:

Biblioteca no Jardim


De 2 de Julho a 8 de Agosto a Biblioteca Municipal de Grândola estará, novamente, no Jardim 1º de Maio, com um Polo de leitura e actividades para crianças.
O Polo da Biblioteca funcionará de Segunda-feira a Sábado, das 10H00 às 13H00.
Ao Sábado, às 11H00 haverá Teatro de Marionetas.

Dia 5 de Julho - 11H00
  • Canteiro de Livros - Valdevinos Teatro de Marionetas

Dia 12 de Julho - 11H00

  • A Carochinha - Era Uma Vez Teatro de Marionetas

Dia 19 de Julho - 11H00

  • A Princesa do Coração de Ouro - Trupilariante Companhia de Teatro-Circo




Dia 26 de Julho - 11H00
  • Apresentação do Atelier de Marionetas do Estúdio Jovem

Visita-nos

Etiquetas: