blogspot visitor counter
Biblioteca Municipal de Grândola
Biblioteca Municipal de Grândola
Rua Dr. José Pereira Barradas 7570-281 Grândola tlf:269450080 fax:269498666 biblioteca@cm-grandola.pt
segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011
Novidades Livros


PRATT, Hugo
Sob a Bandeira dos Piratas
82-9 PRT

SEPÚLVEDA, Luís
Histórias daqui e dali
82 LE-3 SPL

VERNON, Mark
iPlatão: Filosofia para o dia-a-dia
1 VRN



STIEFVATER, Maggie
Shiver: um amor impossível
82 LE-3 STF (Juv)

COLE, Stephen
O segredo da serpente
82 LE-3 CLE (Juv)

BURTENSHAW, Jenna
O Livro dos Dons
82 LE-3 BRT (Juv)



LOPES, Nuno Garcia
O livro de pentear macacos
82 LP-34 LPS (Inf)

REIS, Hélder
A aldeia da casa da magia
82 LP-34 RIS (Inf)

BURNINGHAM, John
Vai chegar um bebé
82 LE-34 BRN (Inf)

Etiquetas:

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011
Bom Fim-de-Semana!
Metamorfose de Narciso de Salvador Dalí

Os funcionários da Biblioteca Municipal de Grândola desejam a todos os utilizadores, um agradável fim-de-semana.

NARCISO
Dentro de mim me quis eu ver. Tremia,
Dobrado em dois sobre o meu próprio poço...
Ah, que terrível face e que arcabouço
Este meu corpo lânguido escondia!

Ó boca tumular, serrada e fria,
Cujo silêncio esfíngico eu bem ouço!...
Ó lindos olhos sôfragos, de moço,
Numa fronte a suar melancolia!...

Assim me desejei nestas imagens.
Meus poemas requintados e selvagens,
O meu Desejo os sulca de vermelho:

Que eu vivo à espera dessa noite estranha,
Noite de amor em que me goze e tenha,
... Lá no fundo do poço em que me espelho!

José Régio in Antologia

Etiquetas:

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011
INTERNET SEGURA

De 7 a 18 de Fevereiro de 2011 a Biblioteca Municipal de Grândola, celebrou o dia Europeu da Internet Segura, promovendo uma Acção de Sensibilização e Esclarecimento.
Com esta Acção, os Técnicos da Biblioteca alertaram os grupos visitantes das Escolas do Concelho, assim como o público em geral para os riscos que correr quando utilizam a Internet.
A fixação de cartazes e a apresentação da homepage da Internet Segura em cada computador da Sala de Multimédia, revelou-se importante, dado que os utilizadores tiveram acesso a toda a informação disponível.


Etiquetas: ,

NOVIDADES FILMES
´

FREARS, Stephen
Estranhos de passagem
734 FRR (3258)



CIMINO, Michael
O ano do dragão
734 CMN (3257)



RESNAIS, Alain
A vida é um romance
732 RSN (3253)

Etiquetas:

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011
CENTRO CIÊNCIA VIVA LOUSAL - A MINA DE CIÊNCIA

Etiquetas: ,

Livro da Semana








Os Pretos de Pousaflores
de
Aida Gomes










Fugindo ao destino que a mãe lhe traçara, Silvério deixou a aldeia de Pousaflores aos dezoito anos pela promessa de uma vida melhor em África; mas, à chegada, os primos trocaram-lhe as voltas e acabou entre soldados negros na campanha de pacificação de uma tribo violenta. Foi, mesmo assim, entre os derrotados que sobreviveu.
Agora, quase quarenta anos volvidos, Silvério está de regresso a Pousaflores.
A guerra civil eclodiu em Angola e, se o seu coração é negro, a sua pele não engana e ainda ontem lhe mataram o melhor amigo. Com três filhos mulatos pela mão - todos de mães diferentes -, resta-lhe na aldeia uma irmã amarga, beata e com reumatismo. Que futuro poderão esperar Justino, Belmira e Ercília num lugarejo onde são vistos como "os pretos de Pousaflores"? E a mulher que Silvério abandonou num pranto inconsolável, estará disposta a abdicar da filha para sempre?
Com um leque de vozes admiravelmente distintas - ora hilariantes, ora comoventes e poéticas -, Aida Gomes narra em Os Pretos de Pousaflores a história de uma família marcada pelas circunstâncias, acompanhando a memória do passado colonial, o definhar do império, a guerra em Angola e o mundo de exclusão que tantos empurra para o abismo. Belo e profundo, com personagens apaixonantes e cenas inesquecíveis, este romance não deixará ninguém indiferente.

Este livro encontra-se disponível na Biblioteca Municipal com a cota 82 LPA-3 GMS

Etiquetas:

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011
Rabugice Abstrata
- Eu quero uma coisa concreta! - gritou o miúdo, enquanto se debatia com os trabalhos de casa.
- Concreta?! - admirou-se a mãe.
- Sim, preciso de quatro nomes concretos. Conheces algum? A mãe sorriu. O filho ficava sempre rebugento quando tinha de estudar coisas novas.
- Ora, então... - começou a mãe. - Tudo o que tens à tua volta é concreto: o lápis, a folha, a mesa, o teu quarto...
- Já chega - disse o miúdo, enquanto, com a língua de fora, escrevia depressa o que ouvira para não se esquecer.
- Espera! Tens de perceber o que são!
- Já percebi, não sou burro! São coisas assim... quer dizer... coisas que existem, que fazem parte da realidade... É isso, não é?
- É, muito bem! E quais são os outros?
- São os substractos.
- Não, filho, que disparate! São os abstractos.
- Ou isso, pois - disfarçou o miúdo. - Desses não sei nada.
- Então, é fácil. Os nomes abstractos não fazem parte da realidade que vemos, que existe. São acções, ou sentimentos, ou qualidades dos seres... percebes?
- Espera, espera! Acho que já percebi. Deixa-me ver se acerto: coragem... opinião... tristeza...
- Viste como sabias tudo o que precisavas? De que é que serviu tanta rabugice?
- Para pôr aqui - respondeu o rapaz, acrescentando aos nomes abstractos a sua rabugice!



Margarida Fonseca Santos in Chamem-lhes nomes!

Etiquetas:

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011
NOVIDADES DE LIVROS



Telejornais no início do Século XXI
070

Telejornais em exame
070

PEDRO, Luísa Maria Reis
Implicações do optimismo, esperança e funcionalidade na qualidade da vida em indivíduos com esclerose múltipla.
616 PDR


Etiquetas:

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011
Bom Fim-de-Semana
Os Amantes, 1923 - Pablo Picasso (1881-1973)

Os Funcionários da Biblioteca Municipal desejam um bom
fim-de-semana
Poema da Semana
O amor simplificado

Vem assim devagarinho
e aparece no caminho
de quem não esperava o chegar,
distrai toda a atenção
e preenche o coração
de quem não contava encontrar
O sonho ganha outra cor,
a vida um outro sabor
Veste um corpo de beleza,
cada gesto ou cada sinal
podem fazer bem ou mal,
transpirar força ou incerteza
O amor é sal da vida,
é cada palavra escondida
preenchendo o vazio de alguém...
Põe beijos em toda a boca
abraça a alma mais louca
faz-nos chegar mais além
A porta abre-se assim,
negando os espectros do fim
vivendo só de presente,
cada memória de paixão
faz-nos voar sobre o chão
aquece o momento ausente

Lou Alma
, in Versejando Pelos Caminhos da Alma
Este livro encontra-se disponível na Biblioteca Municipal

Etiquetas:

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011
Visita Jardim de Infância
A Sofia, deslocou-se hoje ao Jardim de Infânia de Grândola (sala vermelha) para contar a história "A sopa queima", de Pablo Albo.


Etiquetas: ,

FILME DA SEMANA

O PAI FOI EM VIAGEM DE NEGÓCIOS

DE

EMIR KUSTURICA



Nasci num país onde a esperança, o riso e a alegria de viver são mais fortes que noutro sítio qualquer. O mal também. Ou se é criminoso ou vítima. EMIR KUSTURICA.


Com este filme, que era apenas a segunda longa-metragem, Kusturica saía em 1985 de Cannes com a honra máxima daquele festival, a Palma de Ouro. Exeberante e comovente retrato da Jugoslávia na década de 50 vista pelos olhos do pequeno Malik, o filme tem lugar durante o período do Informbiro, quando a Jugoslávia corta relações com a União Soviética. Nesta época, ao mesmo tempo que o país tenta resistir às pressões de Estaline, muitas pessoas são deportadas pela polícia política na sequência de protestos contra o governo. Só que o pai de Malik é preso por motivos menos nobres: a descoberta do seu romance com a mulher de um funcionário do Partido. Acreditando que o pai está em viagem de negócios, Malik terá que enfrentar, sem ele, várias atribulações.


Pode encontrar este DVD na Biblioteca de Grândola com a cota 733 KST(3245)

Etiquetas:

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011
Livro da Semana







Crónica do Rei Pasmado
de
Gonzalo Torrente Ballester











A Crónica do Rei Pasmado, romance de Gonzalo Torrente Ballester, foi um grande êxito em Espanha, tal como em Portugal.
Nada mais natural. É que este "scherzo em re(i) maior alegre, mas não demasiado", como o próprio autor lhe chama, é um livro particularmente saboroso, hábil e irónico, narrado com a mestria e a sabedoria de um escritor como Ballester.
A partir do pasmo extasiado do rei ao ver, pela primeira vez, uma mulher nua, e ao querer ver nua também a rainha, toda uma intriga se tece na corte, metendo nobres, inquisidores, uma afamada meretriz, um jesuíta português, a superiora do convento; toda uma tela de uma obra que bem justifica o qualificativo de pitoresca, num divertimento de primeira água.
Em 1991 este romance foi adaptado ao cinema, num filme dirigido por Imanol Uribe, em que a figura do desenvolto jesuíta padre Almeida é interpretada pelo actor português Joaquim de Almeida.

Este livro encontra-se disponível na Biblioteca Municipal com a cota 82 LE-3 BLL

Etiquetas:

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011
Cão
Eu vivia naquela quinta.
Quinta com muros, com um tanque geométrico para o qual caía a água de uma larga torneira.
Eu fugia da quinta lendo, lendo o que podia.
A meu lado, sentava-se o grande cão que, durante o ano, estava só, entre aqueles muros. Era o «Top».
Castanho, de olhos mansos e bons.
«Top», de vez em quando, batia-me no braço, no livro.
Como se me dissesse:
-Estou aqui. Lembra-te de que existo.
E a minha mão escorregava-lhe pela cabeça sedosa e triste.
E olhava-o, pedindo-lhe que me desculpasse eu estar desatenta à sua solidão tão humana.
Porque «Top», assim, ensinou-me a entender melhor a solidão dos homens. O valor de um pequeno gesto.
E ensinou-me a liberdade imensa que é o olhar preso de um cão.
E a liberdade de tudo o que contém o amor.


Matilde Rosa Araújo in O sol e o menino dos pés frios

Etiquetas:

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011
Dia de S. Valentim
Hoje, dia de S. Valentim, visite a Biblioteca Municipal, leia os melhores textos de amor e leve para casa um marcador...




Etiquetas:

Cinderela: uma história de amor Art Deco
No passado Sábado tivemos, na Biblioteca Municipal, a Sessão de Animação da Leitura, Cinderela: uma história de amor Art Deco, baseada no livro, com o mesmo título, de Lynn e David Roberts. Ficam algumas fotografias para registar esse momento.





Etiquetas: ,

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011
Bom Fim-de-Semana

Os funcionários da Biblioteca Municipal desejam a todos os utilizadores um bom
Fim-de-Semana
A GATA BORRALHEIRA
A GATA BORRALHEIRA

Pensam vocês que sabem esta história?
Mas a que têm na vossa memória
É só uma versão falsificada,
Rosada, tonta e açucarada
Feita para crianças inocentes
Não terem medo, ficarem contentes.

Começou tudo naquele ponto
Em que as feias irmãs deste conto
Com seus brincos, colares e anéis
Partiram para o Baile dos Reis
Enquanto a pobre Gata Borralheira
Ficou fechada, só, na garrafeira
Cheia de ratos, ratinhos ratões,
Todos às dentadas e encontrões.
“Ai quem me acode, quem me vem salvar!”
Num clarão de Luz, toda a brilhar
A Ada Madrinha lhe apareceu
E disse: “Então, o que te aconteceu?”
Dando três murros na porta trancada
Assim se queixou logo a afilhada:
“Hoje há um baile, que dá o rei.
Já todos partiram e eu fiquei.
Quero um vestido, um coche dourado,
Jóias de ouro, um rico toucado.
Dançando com sapatos de cristal
Vou conquistar o Príncipe Real.
“Espera”, disse a Fada Madrinha
E com mágico toque de varinha
Fez a Gata Borralheira aparecer
Lá onde o baile estava a decorrer

Ah, como as irmãs se arrepelaram
Quando na pista de baile dançaram
O Príncipe e a Gata Borralheira,
Abraçados de uma tal maneira
Que o Príncipe até perdeu a fala
Diante de todos, naquela sala!
Bateu a meia noite: Ela exclamou:
“Adeus! Adeus! Adeus, que já me vou!”
Mas o Príncipe, nada conformado,
Prendeu-a pelo vestido bordado.
Ela gritou: “Ai, deixa-me partir!”
E pelos salões largou a fugir.
O vestido ficou todo rasgado.
Correndo à pressa, em roupa interior,
Um sapato perdeu no corredor.
O Príncipe saltou como um leão,
E levou o sapato ao coração.
“A rapariga a quem ele servir
É a noiva com quem me vou unir.
Hei-de correr as casas da cidade
Até descobrir a minha beldade!”
Depois, como era muito despistado,
Deixou-o num caixote, abandonado.
Então uma das manas invejosas
(Picada de borbulhas horrorosas)
Pegou no sapatinho tão coquete,
Atirou-o para dentro da retrete.
Em seu lugar, dissimuladamente,
Pôs o próprio sapato ainda quente.
As coisas estão-se a complicar…
A Gata Borralheira irá ganhar?

Quando nasceu o sol no outro dia
Às portas já o Príncipe batia.
A quem seria, ora, a quem seria
Que o famoso sapato pertencia?
Era largo e enorme o sapatão,
Parecia a bota dum capitão.
Pior ainda, cheirava a chulé
(Suado e sujo estava o pé).
Uma bicha de moças se formou,
O sapato a nenhuma se moldou.
Até que as irmãs vieram correndo,
Estendendo a primeira um pé horrendo.
“Serve-me, é meu”, gritou a megera,
“Vou casar contigo na Primavera.”
“Isso é que não vais!”. O jovem gritou
E com o susto quase desmaiou.
Mas ela guinchava, ela insistia,
De ser princesa não desistia.
“Ordeno que lhe cortem a cabeça!”
Rugiu , cheio de raiva, Sua Alteza.
E, vendo a rapariga degolada,
Exclamou: “Fica assim mais engraçada!”
Para calçar o sapato, depois
Avançou a Irmã Número Dois.
“Prova antes o fio da minha espada!”
O Príncipe, com uma espadeirada
Cortou-lhe a cabeça que rolou
Como uma bola até que parou.

A Gata Borralheira na cozinha
Fazia bolos de mel e farinha.
Ouvindo as cabeças tombar no chão
Sentiu um baque no seu coração.
Foi à porta espreitar. “Que aconteceu?”
“Não te metas!”, ele lhe respondeu.
A pobre Gata Borralheira
Pôs-se a pensar da seguinte maneira:
“Casar contigo não posso admitir
Se cortas cabeças para te divertir.”
“Quem é a porca que está na cozinha?”
Ele exclamou “Vou cortar-lhe a pinha!”
A fada surgiu num branco clarão,
Aterrou ali perto do fogão.
“Formula um desejo, minha afilhada,
Eu vou ajudar-te, não custa nada.”
A Gata Borralheira reflectiu
Com mil cuidados depois do que viu.
“Ó querida Madrinha, ó boa Fada,
Vou-lhe pedir coisa complicada.
Príncipe rico já eu conheci,
De luxos e jóias já me servi.
Agora pretendo um marido honrado
Bom e fiel, sempre a meu lado.”

A Gata Borralheira de repente
Viu-se casada com atraente
Fabricante de bela marmelada.
Como era doce, doce estar casada!
Para todo o sempre foram felizes,
Não sei se tiveram muitos petizes.

Roald Dahl, in “Histórias em verso para meninos perversos”
quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011
Sessão de Animação da Leitura


Cinderela

Uma História de Amor Art Déco

reinventada por Lynn Roberts
e
ilustrada por David Roberts

Sessão de Animação da Leitura para Pais e Filhos

12 de Fevereiro - 11h00

Biblioteca Municipal de Grândola

Etiquetas: ,

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011
Livro da Semana




Trabalhos e Paixões de Benito Prada
de
Fernando Assis Pacheco










Benito Prada, filho de Filemón e Nicolasa, galego de Casdemundo, está ainda vivo em 1949 quando o generalíssimo Franco vem à Universidade de Coimbra receber o título de doutor honoris causa em Direito.
Se pudesse - expressão muito sua - esborrachava-o como quem esborracha um mosco.
Para trás ficaram os seus trabalhos e paixões: a casa pobre, o pai afiador, as poucas letras aprendidas na Meiga de Ventosela; depois o salto para Portugal, a fortuna começada com uma carroça nas feiras, os amores, a guerra, o medo, a ira, tudo envolvido pelo manto da morrinha de que não pôde nunca livrar-se.
Desses trabalhos e paixões nos fala aqui Fernando Assis Pacheco. E, recordando-se da velha picaresca aprendida nos clássicos do género, oferece-nos um romance exemplar, onde a História se transforma em estória e o humor não é mais do que uma disfarçada ternura por tudo aquilo que está vivo e mexe.

Este livro encontra-se disponível na Biblioteca Municipal com a cota 82 LP-3 PCH

Etiquetas:

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011
Sessão de Animação da Leitura para Pais e Filhos
Algumas das personagens de "Cinderela" já começaram a apropriar-se da Sala de Leitura Infantil e Juvenil da Biblioteca Municipal de Grândola.

Etiquetas: ,

Visitas de J. I. Azinheira de Barros, Aldeia Nova de S. Lourenço, C.I. do Lousal e Escola Básica de Grândola
Ontem, o "Blimundo", "O olho roxo e outro côr-de-laranja" e por fim "A ovelha Carlota", prenderam a atenção dos grupos escolares visitantes.







Etiquetas: ,

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011
Novidades Livros


ALMA, Lou
Versejando pelos caminhos da Alma
82 LP-1 LMA [OFFL]

MARCELINO, Rui Daniel Figueiredo
O Senhor
82 LP-3 MRC

MARINHO, Fátima
À procura de um lugar
82 LP-3 MRN

ESTEVES, EDuardo
A Falange do Silêncio
82-9 STV (Juv)



FARINHAS, Paula
Andar à toa na estrada, não é uma boa!
82 LP-34 FRN (Inf)

GUTIÉRREZ, Xulio
Bocas
591 GTR (Inf)

PICHON, Liz
A formiga horripilante
82 LE-34 PCH (Inf)

Etiquetas:

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011
Bom Fim-de-Semana
Passos Manuel, Almeida Garrett, Alexandre Herculano e José Estevão de Magalhães, por Columbano Bordalo Pinheiro

Os Funcionários da Biblioteca Municipal de Grândola desejam a todos um

Bom Fim-de-Semana


Poema da Semana
COQUETTE DOS PRADOS

Coquette dos prados,
A rosa é uma flor
Que inspira e não sente
O encanto d'amor.

De púrpura a vestem
Os raios do Sol;
Suspiram por ela
Ais do rouxinol:

E as galas que traja
Não as agradece,
E o amor que acende
Não o reconhece.

Coquette dos prados
Rosa, linda flor,
Porquê, se não o sentes,
Inspiras amor?

Almeida Garrett, in "Folhas Caídas"

Etiquetas:

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011
NOVIDADES DE FILMES


ALLEN, Woody
Tudo pode dar certo
732 LLN (3219)



HONORÉ, Chistophe
Em Paris
733 HNR (3189)



HANEKE, Michael
O laço branco
733 HNK (3221/2)

Etiquetas:

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011
LIVRO DA SEMANA


Almanaque do Dr. Thackery T. Lambshead de : Doenças Excêntricas e Desacreditadas

Publicado pela primeira vez em 1915, durante a I Grande Guerra, o Almanaque do Dr. Thackery T. Lambshead de Doenças Excêntricas e Desacreditadas foi durante trinta anos difundido a médicos de todo o mundo em folhas de carbono ou fotocópias. O trabalho do Dr. Lambshead inspirou génios clínicos de todo o mundo, e Portugal não foi excepção, encontrando no Dr. Anófeles Calamar Trindade e no seu Compêndio Médico de Doenças Notáveis e Invulgares uma referência incontornável.

Por ocasião da primeira edição portuguesa do Almanaque, foi o próprio Dr. Lambshead, agora com mais de cem anos de idade, que decidiu confiar a edição às mãos capazes, se bem que ainda jovens, do Dr. João Seixas. É a ele que coube a tarefa de reunir novas descobertas propostas por um formidável leque de eminentes especialistas médicos portugueses, seguindo na peugada do grande pioneiro clínico Dr. Anófeles Calamar Trindade. Pela primeira vez, as suas descobertas são apresentadas num volume único e insubstituível, onde se juntam ao trabalho de colegas norte-americanos e britânicos de grande reputação como o Dr. Alan Moore, Dr. Neil Gaiman, Dr. Jeff Vandermeer ou o Dr. China Miéville, entre muitos outros.

Este livro encontra-se disponível na Biblioteca Municipal com a cota 616

Etiquetas: ,