blogspot visitor counter
Biblioteca Municipal de Grândola
Biblioteca Municipal de Grândola
Rua Dr. José Pereira Barradas 7570-281 Grândola tlf:269450080 fax:269498666 biblioteca@cm-grandola.pt
quinta-feira, 31 de março de 2016
Cartaz de Cinema - Abril

Etiquetas: ,

Filme da Semana
 
 
O Quarto Azul
 
um filme de
 
Mathieu Amalric
 
“-Julien, se eu me tornar livre, também ficarás livre?”
“-O quê?”
 
«Um homem e uma mulher amam-se em segredo, sozinhos num quarto. Eles desejam-se, querem-se um ao outro. No crepúsculo, partilham alguns pequenos nadas. Pelo menos é nisso que o homem acredita. Agora, sob investigação policial e judicial, Julien não consegue encontrar as palavras certas.
 
“A vida não é a mesma, entre o momento em que a vives e, mais tarde, quando no fim de contas nos despedimos dela.” O que aconteceu? De que é que ele é acusado?»

Etiquetas: ,

quarta-feira, 30 de março de 2016
2 de Abril - Dia Internacional do Livro Infantil
 
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
2 de Abril - 11H00

Etiquetas: , , , ,

Livro da Semana
 
 
O homem que perseguia o tempo
 
de
 
Diane Setterfield
 
 
 
   "Num momento de rivalidade infantil, William deixa-se levar pelo entusiasmo e não hesita em apontar a fisga a uma gralha-calva poisada num ramo, acabando por matá-la.
   Um ato que, apesar de cruel, não teve qualquer significado e depressa foi esquecido.
   Mas as gralhas-calvas não esquecem...
   Anos depois, já na idade adulta, com mulher e filhos, quando um desconhecido entra misteriosamente na vida de William, a sua sorte começa a mudar - e surgem as consequências terríveis e imprevistas daquele incidente do passado.
   Numa tentativa desesperada de salvar o único bem precioso que lhe resta, William celebra um acordo deveras estranho, com um sócio ainda mais estranho. Juntos, fundam um negócio inquestionavelmente macabro.
 
   Esta é a história de William Bellman, começando pelo momento em que, ainda rapaz, brinca com os amigos no meio rural inglês. William impressiona os companheiros ao matar uma gralha-calva com uma fisga. Os anos vão passando e Will continua a impressionar. É um jovem de sucesso, tem jeito para os negócios, chega ao cargo mais elevado de uma fiação local, casa-se e tem quatro filhos inteligentes, e espera que a vida lhe continue a correr de feição.
   É então que surge uma doença na sua localidade. William perde a mulher e três dos filhos. Em desespero, faz um pacto com um estranho vestido de negro. A sua filha mais velha é poupada, mas Will muda-se para Londres, abre uma loja e dedica-se inteiramente ao trabalho, incapaz de encarar as memórias do passado em que conheceu a felicidade."
 
 


Etiquetas:

terça-feira, 29 de março de 2016
Sessão de Apresentação do Livro "O homem que carregava pedras" pelo autor, Marco Taylor
 
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
2 de Abril - 11H00

Etiquetas: , , , ,

Eternamente
   "E escrevi o teu nome e o teu número de telefone numa página da agenda do mês de Fevereiro. E, ao escrevê-lo, sabia que era uma despedida, mas todo o mês de Março nos arrastámos na despedida, como caranguejos na maré vazia. Sem ti, lancei outras raízes, construí pátios e terraços, fontes cujo som deveria apagar todos os silêncios, plantei um pomar com cheiro a damasco, mandei fazer um banco de cal à roda de uma árvore para olhar as estrelas no céu, um caminho no meio do olival por onde o luar pousaria à noite, abóbadas de tijolo imaginadas pelo mais sábio dos arquitectos e até teias de aranha suspensas do tecto, como se vigiassem a passagem do tempo. Nada disso tu viste, nada te contei, nada é teu. Sozinhos, eu e a aranha pendurada na sua teia, contemplámo-nos longamente, como quem se descobre, como quem se recolhe, como quem se esconde. Foi assim que vi desfilar os anos, as paredes escurecendo, um pó de tijolo pousando entre as páginas dos mesmos livros que fui lendo, repetidamente. Heathcliff e Catarina Línton destroçados outra vez pela minúcia do tempo.
   Como explicar-te tudo isto se te tornou alheio, como tudo te pareceria agora estranho, como nada do que foi teu vigia o teu hipotético regresso? Ulisses não voltará a Ítaca e Penélope alguma desfará de noite a teia que te teceste.
   E arranquei a página da agenda com o teu nome e o teu número de telefone. Veio a seguir Abril e depois o Verão. Vi nascer a flor da tremocilha e das buganvílias adormecidas, vi rebentar o azul dos jacarandás em Junho, vi noites de lua cheia em que todos os animais nocturnos se chamavam rãs, corujas e grilos, e um espesso calor sobre a devassidão da cidade. E já nada disto, juro, era teu. 
   E foi assim que descobri que todas as coisas continuam para sempre, como um rio que corre ininterruptamente para o mar, por mais que façam para o deter.
   Sabes, quem não acredita em Deus, acredita nestas coisas, que tem como evidentes. Acredita na eternidade das pedras e não na dos sentimentos; acredita na integridade da água, do vento, das estrelas. Eu acredito na continuidade das coisas que amamos, acredito que para sempre ouviremos o som da água no rio onde tantas vezes mergulhámos a cara, para sempre passaremos pela sombra da árvore onde tantas vezes parámos, para sempre seremos a brisa que entra e passeia pela casa, para sempre deslizaremos através do silêncio das noites quietas em que tantas vezes olhámos o céu e interrogámos o seu sentido. Nisto eu acredito: na veemência destas coisas sem princípio nem fim, na verdade dos sentimentos nunca traídos.
   E a tua voz ouço-a agora, vinda de longe, como o som do mar imaginado dentro de um búzio. Vejo-te através da espuma quebrada na areia das praias, num mar de Setembro, com cheiro a algas e a iodo. E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre."
 
Miguel Sousa Tavares, in "Não te deixarei morrer, David Crockett"

Etiquetas:

segunda-feira, 28 de março de 2016
Biblioteca Itinerante - Horário e Percurso - Abril
Novidades Livros
 
MANARA, Milo
Caravaggio
82-9 MNR
 

 
FORMAN, Gayle
Espera por mim
82 LE-3 FRM (Juv)
 

 
PÉREZ HERNANDO, Fernando
A escada vermelha
82 LE-34 HRN (Inf)

Etiquetas:

quinta-feira, 24 de março de 2016
Boa Páscoa
"A batalha de Carnaval e Quaresma" de Pieter Bruegel
 
 
 
Bom Fim de Semana
 
Boa Páscoa
 

Etiquetas:

Poema da Semana
A paz sem vencedor e sem vencidos

Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos
A paz sem vencedor e sem vencidos
Que o tempo que nos deste seja um novo
Recomeço de esperança e de justiça.
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Erguei o nosso ser à transparência
Para podermos ler melhor a vida
Para entendermos vosso mandamento
Para que venha a nós o vosso reino
Dai-nos Senhor a paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Fazei Senhor que a paz seja de todos
Dai-nos a paz que nasce da verdade
Dai-nos a paz que nasce da justiça
Dai-nos a paz chamada liberdade
Dai-nos Senhor paz que vos pedimos

A paz sem vencedor e sem vencidos

Sophia de Mello Breyner Andresen, in "Dual"

Etiquetas:

quarta-feira, 23 de março de 2016
Tolerância de Ponto - Páscoa

Etiquetas:

Dia Mundial da Poesia
O dia Mundial da Poesia  foi assinalado com a leitura de textos originais pelos alunos participantes do concurso "Faça lá um poema", promovido pelo Plano Nacional de Leitura, e alguns momentos musicais.












Etiquetas:

Livro da semana


Quando o sol está a brilhar

de

José Fanha

"A Joana e o João adoram ir à praia, mergulhar nas ondas do mar e estender-se na toalha a apanhar sol e ficar com um belo bronzeado. 
Mas atenção! O calor no corpo é bom, mas não se pode abusar...

CATCHAPINHA
CATCHAPINHA
CATCHAPINHA
CATCHAPÃO"

Etiquetas:

terça-feira, 22 de março de 2016
Palestra "Orgulha-te" com Cristina Nogueira da Fonseca
No passado sábado, realizou no Auditório da Biblioteca Municipal o 6.º evento "Famílias Felizes na Vila Morena".






Etiquetas:

Projecto "Ler Faz Crescer"
Nos meses de  janeiro e fevereiro, as técnicas da  Biblioteca Municipal promoveram junto de 646 crianças do conselho, o livro "Eu não tenho sono e não vou para a cama", de Lauren Child.

Estas sessões tinham como objectivo sensibilizar os alunos para os hábitos de sono saudáveis.











Etiquetas:

O ovo da Páscoa
"A galinha Balbina da minha vizinha nem podia ouvir falar da Páscoa. Mal ela se aproximava, a dona tirava-lhe os ovos para fazer folares.E os filhos, esses mariolas, iam à capoeira tirar ovos para pintar.
- Estou farta, farta, farta! - cacarejava ela para o galo Gonçalo. - Tanto quero uns pintainhos, mas como é que vou chocar? Podias dar uma picadela nesses ladrões de ovos.
Mas o galo continuava a cantar, fingindo que não ouvia. Bem sabia que, se entrasse em lutas com o bicho-homem, ia parar à panela.Ora certa manhã, justamente na semana da Páscoa, a galinha Balbina descobriu que a dona tinha trazido uma coisa esquisita no saco do supermercado. Por cima do pacote de arroz e do frasco de detergente, reluzia um ovo maravilhoso, todo dourado. Nunca vira coisa parecida.Que ave rara põe ovos assim? Nem galinha de aviário, nem pata, nem gansa. Talvez fosse da famosa galinha dos ovos de ouro.
E um pinto nascido de tal ovo devia ser todo de ouro...
Enquanto a minha vizinha Manuela foi buscar milho, a galinha empurrou para fora do saco aquele tesouro e fê-lo rebolar até ao ninho. Depois, sentou-se em cima dele e pôs-se a sonhar.
- Vou ter um filho lindo, lindo, lindo, de fazer inveja a toda a bicharada.
Um pinto de ouro. Há de vir gente de todo o mundo para o admirar. Toda a manhã Balbina aqueceu o ovo. Era meio-dia quando o sentiu rebentar.
- Que estranho! Os pintos levam 21 dias para nascer...
Levantou-se para admirar o seu bebé. Para sua surpresa, deparou com uma massa castanha, pegajosa, e, no que restava do ovo, viu um carrinho encarnado. Era o brinde-surpresa de ovo de Páscoa.
- Cacaracá! Cacaracá! - exclamou ela. - Venham ver, venham ver.
A galinha branca, a galinha ruiva e a sarapintada acorreram, curiosas. E abriram os bicos de espanto.
- Ah! - cacarejou uma.
- Um carrinho! Não sabia que os carros nasciam de ovos - cacarejou outra.
- Estamos sempre a aprender- cacarejou a terceira.
O galo Gonçalo aproximou-se, intrigado. Ao ver o pequeno automóvel, arregalou os olhos, ficou com as penas todas de pé.
- Afastem-se. Que perigo! Um carro!
A galinha bem queria adotar o carro. Era um filho bastante extravagante. Se calhar, só se alimentava a gasolina, o que era um problema. Mas paciência, iria todos os dias à estação de serviço buscar combustível. Mas o galo Gonçalo não permitiu. Quando crescesse, podia atropelá-los a todos. Cheio de coragem, pegou no objeto de plástico com a ponta do bico e carregou-o para bem longe.
- Cocorocó! Já vos salvei! - apregoou, aos quatro ventos, o fanfarrão. E continuou, muito convencido.
- Que seria desta bicharada sem mim?!
As galinhas é que não perderam tempo. Debicaram, gulosas, aquela massa castanha e descobriram, sozinhas, como é bom o chocolate."

Luísa Ducla Soares in "O livro das datas"

Etiquetas:

sexta-feira, 18 de março de 2016
Bom Fim de Semana
Amor de pai por Lina Miotta
 
 
 
 
Bom Fim de Semana

Etiquetas:

Poema da Semana
Ter um Pai!

Ter um Pai! É ter na vida
Uma luz por entre escolhos;
É ter dois olhos no mundo
Que vêem pelos nossos olhos!

Ter um Pai! Um coração
Que apenas amor encerra,
É ver Deus, no mundo vil,
É ter os céus cá na terra!

Ter um Pai! Nunca se perde
Aquela santa afeição,
Sempre a mesma, quer o filho
Seja um santo ou um ladrão;

Talvez maior, sendo infame
O filho que é desprezado
Pelo mundo; pois um Pai
Perdoa ao mais desgraçado!

Ter um Pai! Um santo orgulho
Pró coração que lhe quer
Um orgulho que não cabe
Num coração de mulher!

Embora ele seja imenso
Vogando pelo ideal,
O coração que me deste
Ó Pai bondoso é leal!

Ter um Pai! Doce poema
Dum sonho bendito e santo
Nestas letras pequeninas,
Astros dum céu todo encanto!

Ter um Pai! Os órfãozinhos
Não conhecem este amor!
Por mo fazer conhecer,
Bendito seja o Senhor!

Florbela Espanca, in "Poesia: 1918-1930"

Etiquetas:

21 de Março - Dia Mundial da Poesia
 
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
21 de Março - 21H00
 
 
DIA MUNDIAL DA POESIA
 
Uma noite de Poesia, com a leitura de textos originais pelos alunos participantes do concurso “Faça lá um poema!”, promovido pelo Plano Nacional da Leitura”, e momentos musicais. Estarão expostos alguns poemas realizados pelos alunos do Agrupamento de Escolas de Grândola.
 

Etiquetas: , , ,

quinta-feira, 17 de março de 2016
LixArte - Recolha de lixo e construção de esculturas
 
 
Praia de Melides
 
19 de Março - 10H00

Etiquetas: , ,

Filme da Semana
 
 
48
 
um filme de
 
Susana de Sousa Dias
 
 
   "O que pode uma fotografia de um rosto revelar sobre um sistema político?
O que pode uma imagem tirada há mais de 35 anos dizer sobre a nossa actualidade?
Partindo de um núcleo de fotografias de cadastro de prisioneiros políticos da ditadura portuguesa [1926-1974], 48 procura mostrar os mecanismos através dos quais um sistema autoritário se tentou auto-perpetuar durante 48 anos.
Depois de Natureza Morta – Visages d’une Dictature (filme galardoado a nível internacional e exibido em festivais e mostras em cinco continentes), Susana de Sousa Dias volta a centrar-se na época do Estado Novo, utilizando um dispositivo cinematográfico inovador."


Etiquetas: ,

quarta-feira, 16 de março de 2016
Cine Mina - Zootropolis - 19 de Março
 
 
Cine Granadeiro

19 de Março - a partir das 15H00
 
 
Numa ação conjunta, o Município de Grândola e o Centro de Ciência Viva do Lousal, promovem sessões científicas relacionadas com o filme Zootropolis. Após a sua exibição será retratado o relacionamento entre animais selvagens assim como a ligação animal/ciência. 

Etiquetas: , , ,

Março*2016 - Mês da Juventude - Cinema
 
MÊS DA JUVENTUDE

CINEMA ÀS QUINTAS
 
 
A ÚLTIMA NOITADA de Jonathan Levine


  INTERPRETAÇÃO
 Joseph Gordon-Levitt, Seth Rogen, Jillian Bell, Lizzy Caplan, Heléne Yorke
 
 
Cine Granadeiro

17 de março  - 21h00

* Bilhete Único 2€

Etiquetas: ,

21 de Março - Dia Mundial da Poesia
 
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
21 de Março - 21H00

Etiquetas: , , ,

Livro da Semana
 
O quarto alugado
 
de
 
Ricardo Belo de Morais
 
 
   "25 de Abril de 1974. Enquanto assiste à Revolução dos Cravos, e olhando para a janela do quarto onde Fernando Pessoa viveu, no Largo do Carmo, nº 18, Vicente Guedes, um dos seus heterónimos, decide revelar a sua existência. Para tanto, resolve escrever as suas memórias, porque se apercebe que, com a chegada da tão esperada liberdade, a vastíssima obra de Fernando Pessoa pode, finalmente, ser totalmente publicada, sem censura, e passar a ser conhecida por todos. Aquele que conhecemos como uma personagem fictícia, criada para escrever a primeira fase do Livro do Desassossego, conta-nos assim a vida de Fernando Pessoa. E revela todas as aventuras e desventuras do seu amigo, desde que este chegou a Lisboa, vindo da África do Sul, até à sua morte. Além disso, Vicente Guedes relata ainda todo o percurso da extensa obra de Pessoa, até ao fim do Estado Novo, Na pele de biógrafo, Guedes dá-nos uma visão abrangente e emocionada de como Pessoa foi um verdadeiro perseguidor de sonhos - e que é actualmente, o mais universal dos escritores portugueses."

Etiquetas:

terça-feira, 15 de março de 2016
Março * 2016 - Mês da Juventude
 
 
Pavilhão do Parque de Feiras e Exposições de Grândola
 
18 e 19 de Março - 22H30

Etiquetas: , , ,

"Orgulha-te" - Palestra dinamizada por Cristina Nogueira da Fonseca
 
 
No dia 18 de março de 2016, sexta feira, pelas 21H00, no Auditório da Biblioteca Municipal de Grândola, vai realizar-se uma Palestra com o nome "Orgulha-te", com a dinamização da Dra. Cristina Nogueira da Fonseca, Educadora Parental.
 
Esta iniciativa tem como objetivo promover a parentalidade positiva e as competências parentais, dotando as famílias de estratégias de desenvolvimento da auto-estima e valorização do auto-conceito das crianças e jovens.
 
Uma iniciativa grátis, destinada à comunidade em geral.

Não necessita de inscrição.

Apareça!

Contamos consigo!

Adoro transportes públicos
   "Ontem, andei de autocarro. Já não o fazia há algum tempo e já nem me lembrava do quanto adoro transportes públicos. Adoro toda a experiência que me proporcionam. Adoro a forma como ficamos todos como sardinhas enlatadas, e as conservas estão na moda e é bom apostar no que é tipicamente português. Adoro pessoas de braço levantado com o sovaco a dez centímetros da minha cara; faz-me queixar menos do fumo e da poluição na Avenida da Liberdade. Adoro o facto de não chegarem a horas, porque me faz ter tempo para acabar de me pentear e fazer a barba. Gosto das conversas sobre as mensagens que o gajo lá da escola mandou e o que será que ele quer dizer com isso. É bom ver miúdas de doze anos a saber usar tecnologia e preocupadas com o significado das coisas. Gosto das velhas que olham fixamente e sustêm a respiração para ouvir as conversas. Assim melhoram a capacidade pulmonar e podem participar nas Olimpíadas seniores, na categoria de apneia. É bom ver pessoas activas na terceira idade, tal como ver jovens gandins a saltar por cima das cancelas ou a passar colados às outras pessoas, para não pagar bilhete. É bom ver rapazes a investir no desporto como uma forma de vingarem na vida. Ouro no triplo salto e 110 metros barreiras é, portanto, uma possibilidade. Adoro seguranças, que a única coisa que seguram é a barriga. É bom saber que o ordenado de segurança de metro dá para comer muitos hidratos de carbono. Adoro pessoas a ouvir música no telemóvel sem auscultadores - assim, poupo espaço e, mesmo sem bateria, consigo ouvir música. Adoro que as pessoas se atropelem e não deixem sair antes de tentarem entrar, barrando a porta. Só mostra que somos um povo competitivo e cheio de vontade de começar um dia de trabalho. Adoro o modo como as pessoas estão todas carrancudas, de sobrolho franzido e dentes cerrados. Só mostra que somos um povo de respeito e bons valores, já que sorrir é sinal de pouco siso. Adoro ver as pessoas centradas nos seus smartphones, a manterem-se informadas sobre a actualidade sem falar com ninguém; é bom ver que não se perdeu o hábito de não se falar com estranhos que nos incutiram em crianças. Adoro os cegos a pedir esmola. Fazem-me pensar, a caminho do trabalho, que a minha vida é assim tão má. Adoro as greves e o modo como unem as pessoas todas umas contra as outras, enquanto quem tem a culpa se vai rindo."
 
Guilherme Duarte, in "Por falar noutra coisa"       

Etiquetas:

segunda-feira, 14 de março de 2016
Vivam as Férias * Páscoa 2016 - Biblioteca Municipal
 
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
19 de Março a 1 de Abril
 
 

Etiquetas: , , , , ,

Novidades Livros
 
MATIAS, Jacinto F.
O rapaz que venceu Salazar
82 LP-3 MTS
 

 
THOMSOM, Jamie
Que susto de miúda
82 LE-311.3 THM (Juv)
 

 
LOUREIRO, Maria Teresa
Vasco Santana
929 SAN LRR (Inf)

Etiquetas:

sexta-feira, 11 de março de 2016
Bom Fim de Semana
Amizade (1908), de Pablo Picasso



Bom Fim de Semana

Etiquetas:

Poema da Semana
Antes que Seja Tarde

Amigo,
tu que choras uma angústia qualquer
e falas de coisas mansas como o luar
e paradas
como as águas de um lago adormecido,
acorda!
Deixa de vez
as margens do regato solitário
onde te miras
como se fosses a tua namorada.
Abandona o jardim sem flores
desse país inventado
onde tu és o único habitante.
Deixa os desejos sem rumo
de barco ao deus-dará
e esse ar de renúncia
às coisas do mundo.
Acorda, amigo,
liberta-te dessa paz podre de milagre
que existe
apenas na tua imaginação.
Abre os olhos e olha,
abre os braços e luta!
Amigo,
antes da morte vir
nasce de vez para a vida.

Manuel da Fonseca (15/10/1911 - 11/03/1993), in "Poemas Dispersos"

Etiquetas:

quinta-feira, 10 de março de 2016
É uma vez... Os dois corvos
 
 
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
12 de Março - 11H00

Etiquetas: , , ,

Filme da Semana
 
 
Se eu ficar
 
um filme de
 
R. J. Cutler
 
 
 
"Baseado no Romance Best Seller de Gayle Forman, estreou em cinema em Portugal em agosto.
 
Com Cloë Grace Moretz (Kick-Ass, Kick-Ass , Carrie, A Invenção de Hugo) e Jamie Blackley (A Branca de Neve e o Caçador, O Quinto Poder).
 
Com uma Banda Sonora extraordinária onde se inclui a música Say Something de IAN AXEL.
 
Mia Hall (Chlöe Grace Moretz) pensou que a decisão mais difícil que teria de tomar na sua vida era ter que escolher entre perseguir os seus sonhos musicais, tentando entrar na escola de música de Juilliard, ou mudar de rumo para estar com o amor da sua vida, Adam (Jamie Blackley). Mas o que era suposto ser uma tranquila viagem em família, num instante se torna numa tragédia e a vida de Mia fica presa por um fio.
Agora que se vê entre a vida e a morte, Mia tem de tomar uma decisão que irá definir não só o seu futuro, como também o seu destino e daqueles que a rodeiam."

Etiquetas: ,

quarta-feira, 9 de março de 2016
Março*2016 - Mês da Juventude - Meeting Surf & Bodyboard
 
Praia do Carvalhal
 
12 de Março - 9H00

Etiquetas: , ,

"Say Hello para o Futuro" por Teatro Porque Não? (Brasil) - Teatro
 
 
"Say Hello para o Futuro" por Teatro Porque Não? (Brasil)
 
Cine Granadeiro
 
11 de Março - 21H30
 
Entrada 3€ * Reservas através de 269 448 030
 
 
Espetáculo inserido no FITA - Festival Internacional de Teatro do Alentejo
 
 
 

Etiquetas: , ,

Livro da Semana
 
 
O coro dos defuntos
 
de
 
António Tavares
 
 
   "Vivem-se tempos de grandes avanços e convulsões: os estudantes manifestam-se nas ruas de Paris e, em Memphis, é assassinado o negro que tinha um sonho; transplanta-se um coração humano e o homem pisa a Lua; somam-se as baixas americanas no Vietname e a inseminação artificial dá os primeiros passos. Porém, na pequena aldeia onde decorre a acção deste romance, os habitantes, profundamente ligados à natureza, preocupam-se sobretudo com a falta de chuva e as colheitas, a praga do míldio e a vindima; e na taberna - espécie de divã freudiano do lugar - é disso que falam, até porque os jornais que ali chegam são apenas os que embrulham as bogas do Júlio Peixeiro. E, mesmo assim, passam-se por ali coisas muito estranhas: uma velha prostituta é estrangulada, o suposto assassino some-se dentro de um penedo, a rapariga casta que colecciona santinhos sofre uma inesperada metamorfose, e a parteira, que também é bruxa, sonha com o ditador a cair da cadeira e vê crescer-lhe, qual hematoma, um enorme cravo vermelho dentro da cabeça. Quando aparece o primeiro televisor, as gentes assistem a transformações que nem sempre conseguem interpretar...
   Com personagens inesquecíveis e um recurso narrativo extremamente original, O Coro dos Defuntos é um belíssimo retrato do mundo rural português entre 1968 e 1974."

Etiquetas:

Março*2016 - Mês da Juventude - Cinema
 
 
MÊS DA JUVENTUDE
 
CINEMA ÀS QUINTAS
 
AMOR IMPOSSÍVEL de António-Pedro Vasconcelos
 
INTERPRETAÇÃO
Victória Guerra, Ricardo Pereira, Soraia Chaves

Cine Granadeiro
 
10 de março  - 21h00
 
* Bilhete Único 2€

Etiquetas: ,

terça-feira, 8 de março de 2016
É uma vez... Os dois corvos
 
 
Biblioteca Municipal de Grândola
 
12 de Março - 11H00

Etiquetas: , , ,

"O homem que carregava pedras" - Exposição de Ilustração de Marco Taylor
 
 
Biblioteca Municipal de Grândola

9 de Março a 2 de Abril

Etiquetas: , , ,