blogspot visitor counter
Biblioteca Municipal de Grândola
Biblioteca Municipal de Grândola
Rua Dr. José Pereira Barradas 7570-281 Grândola tlf:269450080 fax:269498666 biblioteca@cm-grandola.pt
quarta-feira, 31 de março de 2010
Ilustre Desconhecido: Guillermo Cabrera Infante

Guillermo Cabrera Infante foi um escritor, ensaísta, tradutor e crítico cubano, nascido a 22 de Abril de 1929 em Gibara, na então Província do Oriente, hoje de Holguín.


Com apenas sete anos de idade foi detido, juntamente com os seus pais, fundadores do Partido Comunista Cubano, tendo assim conhecido, pela primeira vez, a prisão.


Aos dezoito anos vê, para surpresa sua, publicada a sua primeira história, El señor presidente. Em 1941, mudou-se com a família para Havana, onde começou por estudar medicina, carreira que abandonou a favor da sua paixão pela escrita e pelo cinema.


Em 1950, iniciou os seus estudos em Jornalismo na Universidade de Havana. Dois anos mais tarde, a censura do regime de Batista proíbe-o de publicar com o seu nome depois o considerar culpado de incluir obscenidades em inglês no seu primeiro conto. Cabrera Infante contornou a questão adoptando o pseudónimo de G. Caín (uma contracção do seu nome), com que assinaria, a partir de 1954, os seus artigos enquanto crítico de cinema da revista Carteles, com a qual colaborou até 1960.


Com a chegada de Castro ao poder, Cabrera Infante, apoiante da revolução, foi nomeado director do Conselho Nacional de Cultura, executivo do Instituto do Cinema e subdirector do Diário Revolución (actual Granma), encarregando-se do seu suplemento literário, Lunes de Revolución. A relação com o regime de Fidel deteriora-se quando uma curta-metragem realizada pelo seu irmão, Sabá Cabrera, rodada nos finais de 1960, é proibida pelo regime. A reacção de Cabrera Infante nas páginas do Lunes de Revolución conduziu ao cancelamento do suplemento. No ano seguinte, no seu discurso Palabras a los intelectuales, Fidel Castro pronunciaria as célebres palavras “Dentro de la Revolución todo; contra de la Revolución, nada.”. Chegava ao fim o idílio entre a revolução cubana e os intelectuais, tinha início o exílio do escritor.


Em 1962, foi enviado para Bruxelas como adido cultural da embaixada cubana, onde viveria com as duas filhas do seu primeiro casamento e com a segunda mulher até 1965, quando a repentina morte desta última o faz regressar a Cuba. Ao chegar à ilha foi detido, durante quatro meses, pelos serviços secretos. Daí sairia para o exílio definitivo que o levou à Espanha franquista, primeiro a Madrid, depois a Barcelona. Daí seguiu para Londres, onde se instalou definitivamente e onde, em 1968, publicou a sua primeira obra de vulto, Três Tristes Tigres. Considerado contra-revolucionário, o romance valeu ao escritor o título de traidor por parte do regime de Fidel Castro. Nunca mais regressaria a Cuba.


A sua escrita é caracterizada por um agudo sentido de humor, pelo grande domínio da coloquialidade cubana e por um forte recurso à intertextualidade. O escritor foi considerado pelo crítico Enrico Mario Santí como a encarnação do espírito literário cubano.


Das sua obras fazem parte, além do já citado Três Tristes Tigres, Fumo Sagrado e Havana para um Infante Defunto, adaptada ao cinema com guião do próprio autor com o nome de Havana, Cidade Perdida.


“O Mago das Palavras” morreu, como cidadão britânico, em 21 de Fevereiro de 2005.


Obras do autor disponíveis na Biblioteca:
- Fumo sagrado
- Havana para um Infante Defunto
- Havana, Cidade Perdida
(DVD)



Etiquetas:

terça-feira, 30 de março de 2010
O futuro
DERAM-LHES CARTA BRANCA para fazer o que desejassem, como desejassem, sem limites orçamentais. Junto à costa, os terrenos expropriados eram uma espécie de tábua rasa, estendendo-se até ao horizonte longínquo. "Construam o futuro, aqui e agora", pediu-lhes o Presidente, num discurso inflamado, solene, feito para impressionar os Presidentes dos países vizinhos.
Então, eles chegaram. Os melhores arquitectos. Os melhores engenheiros. Os melhores empreiteiros. Nos projectos que pousavam em cima das elegantes mesas de vidro, estava o futuro. O Futuro, com maiúscula. Uma cidade perfeita, ecologicamente sustentada, exemplar. A cidade-síntese. A cidade ideal.
Então, o Presidente morreu, em circunstâncias misteriosas. A primeira decisão do sucessor foi embargar o Futuro, dirigir as verbas para outros fins. Os alicerces do Futuro ficaram expostos ao vento, consumidos pelo salitre. Ainda hoje podem ser vistos, junto à costa, por entre enormes extensões de areia, detritos e urtigas.

José Mário Silva, in Visão nº 879

Etiquetas:

segunda-feira, 29 de março de 2010
Novidades Livros


BARROS, Filinto de
Kikia Matcho: o desalento do combate
82 LPA-3 BRR

DUNN, Suzannah
A sexta mulher
82 LE-3 DNN

SHAN, Darren
O Ajudante de Vampiro
82 LE-3 SHN




SEPÚLVEDA, Luís
História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar
82 LE-34 SPL (Juv)

PROENÇA, Maria Cândida
História de Portugal
94(469) PRN (Juv)

MUCHAMORE, Robert
O Traficante
82 LE-311.3 MCH (Juv)




LIONNI, Leo
A maior casa do mundo
82 LE-34 LNN (Inf)

NEVES, Manuela Castro
O elefante diferente
82 LP-1 NVS (Inf)

ZIMLER, Richard
Dança quando chegares ao fim
82 LE-34 ZML (Inf)

Etiquetas:

sexta-feira, 26 de março de 2010
Bom fim-de-semana
Guernica por Pablo Picasso (1937)


Os funcionários da Biblioteca Municipal desejam um bom fim-de-semana a todos os utilizadores
Poema da Semana
Guerra Civil

E contra mim que luto.
Não tenho outro inimigo.
O que penso,
O que sinto,
O que digo
E o que faço,
É que pede castigo
E desespera a lança no meu braço.

Absurda aliança
De criança
E adulto,
O que sou é um insulto
Ao que não sou;
E combato esse vulto
Que à traição me invadiu e me ocupou.

Infeliz com loucura e sem loucura,
Peço à vida outra vida, outra aventura,
Outro incerto destino.
Não me dou por vencido,
Nem convencido.
E agrido em mim o homem e o menino.

Miguel Torga

Etiquetas:

quarta-feira, 24 de março de 2010
Ilustre Desconhecido: valter hugo mãe
valter hugo mãe retratado por Nelson d'Aires

valter hugo mãe nasceu a 25 de Setembro de 1971, numa cidade angolana chamada Henrique de Carvalho, actual Saurimo.

Passou a infância em Paços de Ferreira e em 1980 mudou-se para Vila do Conde. Licenciou-se em Direito e fez uma pós-graduação em Literatura Portuguesa Moderna e Contemporânea.

Além de escritor é editor, artista plástico, cantor e letrista.

Em 1999 fundou com Jorge Reis Sá a Quasi edições na qual publicou obras de Mário Soares, Caetano Veloso, Adriana Calcanhotto, António Ramos Rosa, Artur do Cruzeiro Seixas, Ferreira Gullar, Adolfo Luxúria Canibal e muitos outros. Em 2001, ainda na Quasi, co-dirige a revista Apeadeiro. Em 2006 criou Objecto Cardíaco, editora que faliu porque se "atrapalhou com a contabilidade".

Foi poeta antes de ter descoberto a prosa quando, em três dias, "o nosso reino", primeiro romance que publicou em 2004, lhe começou a aparecer no computador. Romance esse, editado pela Temas & Debates, que foi considerado pelo Diário de Notícias o melhor romance português editado nesse ano.

A sua poesia está traduzida/editada em antologias ou livros autónomos em países como Espanha, Brasil, República Checa, Tunísia, Israel, Alemanha, Suíça, França, Eslovénia, Estónia e Estados Unidos da América.

Com "egon schielle auto-retrato de dupla encarnação", conquistou o Prémio de Poesia Almeida Garrett em 1999.

Por "o remorso de baltazar serapião", segundo romance, recebeu o Prémio Literário José Saramago - Fundação Círculo de Leitores, em 2007. Para o Nobel português, este foi "uma revolução, um tsunami, não no sentido destrutivo, mas da força".

Segue-se "o apocalipse dos trabalhadores", em 2008. E "a máquina de fazer espanhóis", em 2010.

Ainda fez uma incursão pela literatura infantil com os livros "a verdadeira história dos pássaros" e "a história do homem calado".

Desde pequeno que alimentava a vontade de cantar, mas a timidez, "profunda durante a adolescência", foi-lhe adiando o sonho.

Aos 38 anos, valter hugo mãe, o escritor que só usa minúsculas porque "todas as palavras têm a mesma dignidade", mostra o seu lado B, como vocalista e letrista do projecto Governo, que abraçou com António Rafael e Miguel Pedro, dos Mão Morta. O primeiro EP, "Propaganda Sentimental", foi lançado no final do ano passado.

Livros de valter hugo mãe disponíveis na Biblioteca Municipal:
  • o nosso reino
  • o remorso de baltazar serapião
  • o apocalipse dos trabalhadores
  • a verdadeira história dos pássaros
  • a história do homem calado

Etiquetas:

terça-feira, 23 de março de 2010
No início do ano...
NO INÍCIO DO ANO uma donzela do Oriente diz ao seu amado esposo:
- Não caminhes em direcção ao Leste. Se o fizeres encontrarás a morte.
Mas o amado nada ouviu, pois, nesse momento, pensava numa outra mulher mais jovem, mais bela, mais inteligente.
Seguiu assim o homem em direcção a leste - e não morreu. Pelo contrário, foi recebido em casa pela tal amante mais jovem, mais bela, mais inteligente.
Na manhã seguinte, ao levantar-se, a amante disse-lhe:
- Não caminhes em direcção ao Oeste. Se o fizeres encontrarás a morte.
Mas o homem nada ouviu, pois, nesse momento, pensava na sua esposa legítima que o esperava.
Seguiu assim o homem em direcção a oeste - e não morreu. Pelo contrário, foi recebido em casa, com alegria e calor, pela sua esposa.
Na manhã seguinte, ao levantar-se, ouviu da sua amada esposa, uma donzela do Oriente:
- Não caminhes em direcção ao Leste. Se o fizeres encontrarás a morte.
Mas o amado nada ouviu, pois, nesse momento, pensava numa outra mulher, numa mulher mais jovem, mais bela, mais inteligente.
Seguiu assim o homem em direcção a leste e depois a oeste e depois a leste e assim sucessivamente, dias e dias, anos e anos - e não morreu.
A morte surgiu apenas quando o homem já velho e sem forças ficou incapaz de se mover - quer para leste quer para oeste.

Gonçalo M. Tavares, in Visão nº 879

Etiquetas:

segunda-feira, 22 de março de 2010
Novidades Livros


PASTIS, Stephan
Adoro Bacon
82-9 PST

COUTO, Mia
A varanda do Frangipani
82 LPA-3 CTO

ALMEIDA, Virgílio
B. B. Bestas Bestiais
82 LP-2 LMD




GOMES, Conceição de Sousa
O Homem e as Palavras
929 AND GMS (Inf)

MANGAS, Francisco Duarte
O Noitibó, a Gralha e outros bichos
82 L-34 MNG (Inf)

CORREIA, Artur
Lenda da Chanfana
82-9 CRR (Inf)

REIS, Maria de Fátima
D. João V, o Magnânimo
94(469) RIS (Juv)

MONTEIRO, Miguel Corrêa
D. José, o Reformador
94(469) MNT (Juv)

MOTA, Isabel Ferreira da
D. Maria, a Piedosa
94(469) MTA (Juv)
sexta-feira, 19 de março de 2010
Bom fim-de-semana

Vieira da Silva, Biblioteca (1949)

Bom fim-de-semana para todos os utilizadores da Biblioteca Municipal de Grândola
Poema da Semana
Liberdade

Ai que prazer
Mão cumprir um dever,
Ter um livro para ler
E não o fazer!
Ler é maçada,
Estudar é nada.
O sol doira
Sem literatura

O rio corre, bem ou mal,
Sem edição original.
E a brisa, essa,
De tão naturalmente matinal,
Como tem tempo não tem pressa...

Livros são papéis pintados com tinta.
Estudar é uma coisa em que está indistinta
A distinção entre nada e coisa nenhuma.

Quanto é melhor, quando há bruma,
Esperar por D. Sebastião,
Quer venha ou não!

Grande é a poesia, a bondade e as danças...
Mas o melhor do mundo são as crianças,
Flores, música, o luar, e o sol, que peca
Só quando, em vez de criar, seca.

O mais do que isto
É Jesus Cristo,
Que não sabia nada de finanças
Nem consta que tivesse biblioteca...

Fernando Pessoa

Etiquetas:

terça-feira, 16 de março de 2010
Carreirismo
Após ter surripiado por três vezes a compota da despensa, seu pai admoestou-o.
Depois de ter roubado a caixa do senhor Esteves da mercearia da esquina, o seu pai pô-lo na rua.
Voltou passados vinte e dois anos, com chofér fardado.
Era Director Geral das Polícias. Seu pai teve o enfarte.

Mário-Henrique Leiria in Contos do Gin-Tonic

Etiquetas:

segunda-feira, 15 de março de 2010
Novidades Livros



KIRKMAN, Rick
A Desordem Natural das Coisas
82-9 KRK

BORGES, Alexandre
Todas as Viúvas de Lisboa
82 LP-3 BRG

JEVENOIS, Pablo de
Biblioteca de Alexandria: o enigma revelado
82 LE-3 JVN





RAJCHMAN, Chil
Sou o último Judeu: Treblinka (1942-1943)
94(100) RJC

ADEMAR, Carlos
Primavera adiada
82 LP-3 DMR





RIBEIRO, João Manuel
Poemas para Brincalhar
82 LP-1 RBR (Inf)

CORBEL, Alain
A máquina infernal
82 LE-34 CRB (Inf)

ZAMBUJAL, Isabel
Histórias escritas na cara: cada avó é um livro de contos
82 LP-34 ZMB (Inf)





MÉSSEDER, João Pedro
Versos quase matemáticos
82 LP-1 MSS (Inf)

MOUTINHO, José Viale
A história de William: a possível infância de Shakespeare
82 LP-34 MTN (Inf)

Etiquetas:


Teve hoje início a Semana da Leitura nas Bibliotecas Escolares do Concelho, na qual iremos participar activamente.
Já hoje de manhã os alunos da EB1 de Grândola tomaram contacto com o tremendamente fascinante conto da Ti Miséria, seguindo-se uma outra turma pelas 14 horas.
Amanhã iremos estar na EBi D. Jorge de Lencastre o dia todo numa colaboração cada vez mais próxima entre a Biblioteca Municipal e as Bibliotecas Escolares do nosso Concelho.

Etiquetas:

sexta-feira, 12 de março de 2010
Bom fim-de-semana
Cândido Portinari

Os funcionários da Biblioteca desejam a todos os seus utilizadores um bom fim de semana!
Poema da Semana
Meteorológica

Deus não me deu
um namorado
deu-me
o martírio branco
de não o ter

Vi namorados
possíveis
foram bois
foram porcos
e eu palácios
e pérolas

Não me queres
nunca me quiseste
(porquê, meu Deus?)

A vida
é livro
e o livro
não é livre

Choro
chove
mas isto é
Verlaine

Ou:
um dia
tão bonito
e eu
não fornico

Adília Lopes
quarta-feira, 10 de março de 2010
Visita da Sala Azul
Hoje resolvemos perguntar aos meninos da Sala Azul do Jardim de Infância de Grândola qual o animal de estimação que teriam.
Ao fim de conhecermos as aventuras e desventuras de um pobre professor que resolveu "adoptar" uma vaca como animal de estimação, somos levados a crer que nenhum dos nossos ouvintes de hoje irá pedir aos pais uma vaca.


Etiquetas:

terça-feira, 9 de março de 2010
Final In(esperado)
Era uma mulher confiante em si própria.
Adulta, madura, auto-suficiente, ou, pelo menos, assim se julgava.
E nada a surpreendia.
Há muito que o inesperado não existia para ela.
Começava a ler um livro e, a meio, já sabia como ia acabar.
Ia ao cinema e, pouco depois do genérico, já antevia como seria o final do filme.
Era assim nos negócios, nos casamentos dos amigos e, também, nas suas próprias relações.
Dias, horas, minutos, nos melhores casos, antes de as situações acontecerem, já ela pressentia o que se ia passar, ser dito, ocorrer de seguida.
Por isso, dizia que o inesperado não tinha lugar na sua vida.
Era como uma jogadora de xadrez, prevendo as futuras jogadas dos adversários, só que em vez de bispos, torres e cavalos, tratava-se de vidas, emoções, argumentos, afectos vários e, até, prognósticos políticos.
Por isso, quando, naquela noite, foi jantar com a sua conquista mais recente e esta lhe começou a falar do último carro que comprara, da sua performance no squash, das viagens e da futura promoção na multinacional onde trabalhava, ela teve uma sensação de déjà vu.
No final da refeição, adivinhou, com cinco minutos de antecedência o esperado "Que tal uma última bebida no meu apartamento?"
Uma qualquer desculpa serviu para ele a deixar à porta do seu condomínio de luxo, não sem antes ensaiar uma última tentativa.
"Nem me oferece sequer um café?" Previsível, de novo.
Sorriu-lhe, contrariada. O que ela dava para ser surpreendida...
Quando o porteiro lhe abriu a porta, ainda olhou para trás.
A sua companhia masculina, dentro do carro, disfarçava a decepção, girando o punho à altura do ouvido "Telefone-me, sim?" queria dizer ele, mais uma vez sem nada de original.
Pisou com firmeza o chão de mármore da recepção.
Subiu no luxuoso elevador, enquanto uma música, sem surpresas, ecoava no pequeno espaço.
Digitalizou o código de segurança e entrou no seu espaçoso loft.

Antes de conseguir acender a luz, sentiu o frio de uma lâmina, junto à garganta, e ouviu: "Se gritas, morres!"
O rosto iluminou-se-lhe, num sorriso largo.
Surpreendida, por fim.

João Viegas in O Canto do Galo: Microcontos do Blog O Galo de Barcelos ao Poder

Etiquetas:

Espelho Meu : História do Rock Português em 39 Pinturas by Sardine & Tobleroni


12 de Março de 2010

Biblioteca Municipal de Grândola

21H30 - Inauguração da Exposição

22H00 - Café Concerto com a banda Luxúria

Etiquetas: ,

segunda-feira, 8 de março de 2010
Visitas de 8 de Março
Depois de, na sexta-feira passada, termos iniciado a descoberta da Princesa de Aljustrel com o Jardim de Infância nº 2 de Grândola, hoje foi a vez de pôr à prova a Sala Verde de Grândola e a sala da Aldeia do Futuro. De facto, não conseguimos deixar de nos entusiasmar e ficar surpreendidos com as capacidades dos mais novos e a forma como interpretam os desafios que lhes vão sendo lançados.
Neste Dia Internacional da Mulher não conseguimos deixar de expressar a nossa admiração pelo trabalho desenvolvido pelas educadoras deste Concelho.
Bom trabalho a todas e até já!

Etiquetas:

Novidades Livros



SINGER, Peter
Crianças em Armas
316 SNG

ADOLFO, Ricardo
Depois de morrer aconteceram-me muitas coisas
82 LPA-3 DLF

SHAN, Darren
Túneis de Sangue
82 LE-312.4 SHN





MUCHAMORE, Robert
Segurança máxima
82 LE-311.3 MCH (Juv)

AVELAR, Ana Paula
D. João III, o Piedoso
94(469) VLR (Juv)

EGGERS, Dave
O Sítio das Coisas Selvagens
82 LE-3 GGR (Juv)





COLOMBO, Natalia
Perto
82 LE-34 CLM (Inf)

SANTOS, Margarida Fonseca
Rafaela
82 LP-34 SNT (Inf)

CUNHA, Octávio
O Sítio entre o Céu e a Terra
82 LP-34 CNH (Inf)

Etiquetas:

Na passada sexta-feira recebemos a visita da Sala 1 do Jardim de Infância 2 de Grândola que nos veio ajudar a desvendar os mistérios que se encerram na estória da Princesa de Aljustrel.
Temos, pois, que lhes agradecer a forma brilhante como conseguiram desvendar as diferentes etapas e nos descansaram a todos em relação ao anel da princesa. Logo a seguir recebemos o Jardim de Infância e a EB1 da Aldeia Nova de São Lourenço que acompanharam as desventuras de três irmãos com a Bruxa Arreganha-Dentes.



Agradecemos a todos a visita e cá vos esperamos em breve!

Etiquetas:

sexta-feira, 5 de março de 2010
Bom fim de semana

Salvador Dalí

A Biblioteca Municipal deseja a todos os utilizadores um bom fim de semana
Poema da Semana
Sentimento no Mundo

Tenho apenas duas mãos
e o sentimento do mundo,
mas estou cheio de escravos,
minhas lembranças escorrem
e o corpo transige
na confluência do amor.

Quando me levantar, o céu
estará morto e saqueado,
eu mesmo estarei morto,
morto meu desejo, morto
o pântano sem acordes.

Os camaradas não disseram
que havia uma guerra
e era necessário
trazer fogo e alimento.
Sinto-me disperso,
anterior a fronteiras,
humildemente vos peço
que me perdoeis.

Quando os corpos passarem,
eu farei sozinho
desfiando a recordação
do sineiro, da viúva e do microscopista
que habitavam a barraca
e não foram encontrados
ao amanhecer

esse amanhecer
mais noite que a noite.

Carlos Drummond de Andrade

Etiquetas:

quarta-feira, 3 de março de 2010
Novidades Livros



ONFRAY, Michel

Teoria da Viagem: uma Poética da Geografia
82 LE-3 NFR

DICKENS, Charles
Os Cadernos Póstumos do Clube Pickwick

82 LE-3 DCK

CABRERA INFANTE, Guillermo
Fumo Sagrado
82 LE-3 NFN






TOFIELD, Simon
O Gato do Simon
82-9 TFL (Juv)

GOSCINNY, René
O balão do menino Nicolau e outras histórias inéditas
82 LE-34 GSC (Juv)

NEVES, João César das
O meu livro de Economia
33 NVS (Juv)






VIEIRA, Vergílio Alberto
O Comboio de Pedra
82 LP-34 VRA (Inf)

SANTOS, Margarida Fonseca
O nó dos livros
82 LP-34 SNT (Inf)

LEE, Suzy
Espelho
82 LE LEE (Inf)

Etiquetas: